Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Sábado, 29 Janeiro, 2022

Role para cima

Top

Sem comentários

As 7 tendências que marcarão a arquitetura em 2019

As 7 tendências que marcarão a arquitetura em 2019

A arquitetura, a construção, o design e a decoração de interiores não param de evoluir e de se aperfeiçoar. Olhando para 2019, os especialistas estão focados em elementos naturais e respeitadores do meio ambiente, e numa abordagem que visa a multifuncionalidade, flexibilidade, dinamismo e formas inteligentes. 

Os especialistas da Sto, empresa alemã dedicada a soluções e elementos para construção, descrevem as principais tendências que marcarão o futuro da construção: 

1. Estrutura adaptada às necessidades da geração dos milenares 

Não é incomum encontrar apartamentos pequenos, residenciais e turísticos, multifuncionais e minimalistas. O comportamento e os costumes da geração milenar são o principal motivo para apostar em espaços mínimos, com grande flexibilidade, onde o ambiente pode mudar rapidamente e alterar a cena. Esses projetos modulares não possuem detalhes desnecessários ou detalhes complexos e são integrados por formas geométricas e lineares. 

2. Maior controle de ruído

A preocupação em resolver o problema do ruído sem afetar o design está em crescendo. Por isso, soluções acústicas em arquitetura estão a começar a tomar forma e a  consolidar-se  como um dos pilares do futuro da construção.

Embora existam diferentes opções de condicionamento acústico, é essencial conhecer previamente o uso do espaço: sala de aula, restaurante, auditório, sala de máquinas, escritórios open space, etc. “Cada um desses ambientes exigirá um design e características especiais que absorvam, reflitam ou melhoram o som”, explica Javier Álvarez, responsável pela área de acústica da Sto.

3. Pisos e paredes ocupam o centro do palco

Tanto dentro como fora, ambos os espaços se tornarão telas artísticas. Papéis pintados com motivos florais ou geométricos, a variedade de texturas, vinis ou murais feitos à mão serão um  forte contraste em relação às estações anteriores. No caso do piso, os azulejos terão maior relevância na decoração e retornarão a terracota e o terrazzo.

4. Filosofia focada em eficiência energética 

Mais do que uma moda passageira, a eficiência energética é uma filosofia de vida. Nesse sentido, os sistemas passivos são os que estão assumir a maior proeminência. Por quê? Estão em conformidade com a nova legislação e aplicados em novas construções ou em reabilitação, tem uma demanda de calor anual máximo de 15 quilowatts / hora por metro quadrado, reduzindo para um décimo os custos de aquecimento, mantendo um ambiente acolhedor durante todo o ano, mantendo ar fresco integrado e proporcionando uma atmosfera interior saudável. 

“Em comparação com métodos convencionais, permitem a conservação dos recursos, aumenta o valor das propriedades e a durabilidade das construções é superior”, comentou José Almagro, CEO de Sto Ibérica. 

5. Uso de dispositivos inteligentes 

As possibilidades em termos de tecnologia são amplas: aquecimento remoto, sistemas de som sem fio, sistemas de iluminação inteligentes que respondem à atividade humana, aparelhos inteligentes … O motivo da sua proliferação? Permitem um controle maior e mais otimizado da energia e das despesas de uma casa de turismo ou de um hotel, economizam tempo e, é claro, são muito mais confortáveis de usar. 

Do lado do processo de construção ajudar a melhorar a resiliência dos edifícios, reduzindo o consumo de tempo e recursos, e permitir monitorar todas as variáveis envolvidas na reabilitação ou construção, promovendo a tomada de decisões em tempo real e a sua automação . 

6. Impressão 3D para construir e projetar residências 

A tecnologia de impressão 3D avançou muito nos últimos anos. Embora ainda esteja em um estágio inicial, já está a ser integrado pouco a pouco na área da arquitetura e design de interiores, indo além da materialidade plástica e das pequenas criações. 

Em termos gerais, já é possível imprimir uma habitação utilizável com betão ou outros tipos de materiais pesados para a criação de paredes, tijolos ou materiais isolantes. A um nível decorativo, painéis de design já estão a ser fabricados para revestimentos, pisos, móveis, iluminação, utensílios de mesa e até mesmo acessórios de cozinha e banheiro. 

7. Aplicação de materiais reciclados e sustentáveis 

O boom de materiais ecológicos será consagrado este ano. A razão é que este tipo de elementos são fabricados e distribuídos com baixo impacto ambiental, são duráveis, reutilizáveis menos prejudiciais para saúde, e tem uma origem natural (não alterado com frio, calor ou humidade). 

No design de interiores, 2019 será caracterizado pelo maior uso de materiais naturais, como ferro, madeira, fibras naturais, vidro, terrazzo e mármore, ou com a aplicação de tintas com componentes naturais, antipoluição e sem aditivos químicos, e com cores quentes e naturais.

Envie um comentário