Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Quarta-feira, 24 Abril, 2019

Role para cima

Top

Sem comentários

Porquê continuar a falar de distribuição?

Porquê continuar a falar de distribuição?

“Nos últimos meses os conteúdos informativos e comerciais sobre o canal intermediário online começaram a aparecer em força em blogues, jornais digitais e redes sociais”.

A realidade é que a Internet revolucionou o mundo da distribuição e fez da desintermediação e da reintermediação dois conceitos- chave.

A questão é que os novos modelos de negócios relacionados à intermediação online continuam a evoluir e agora que a dependência do canal parece estar a diminuir, não podemos ficar para trás.

MECANISMOS DE META PESQUISA: OS COMPARADORES DE PREÇOS

É conhecido por canal híbrido. O facto de os hotéis terem começado a comercializar os quartos através dessas plataformas junto das OTA posicionou-o como um canal de marketing online, para o posicionamento e como um canal de distribuição, já que o utilizador pode optar por guardar no seu URL. O «Instant Booking» do TripAdvisor é um exemplo.

Para os hotéis que optam por aparecer em comparadores de preços nem tudo é fácil, mas seguir estas diretrizes ajudará a otimizar o seu investimento:

• Prestar atenção à paridade.
• Oferecer um perfil de qualidade. • Integrar as opiniões dos turistas.

No primeiro caso, é essencial monitorizar a concorrência e não perder de vista as OTA de referência. Nesse sentido, as ferramentas tecnológicas serão uma grande ajuda. PriceSeekers, a solução da Paraty Tech, apresenta- se como uma das mais avançadas do mercado.

A IMPORTÂNCIA DAS REVISÕES

«O que dizem sobre nós conta sempre e até um comentário negativo, com o tratamento correto, pode tornar-se positivo».

No segundo caso, é fundamental cuidar da imagem que reflete o nosso perfil após uma pesquisa de um utilizador. Fotografias de qualidade e textos cuidadosos garantirão um melhor retorno do investimento. No terceiro, o nosso “dever” é lembrar que o que dizem sobre nós conta sempre e que até um comentário negativo, com o tratamento correto, pode tornar-se positivo. O sucesso está em oferecer soluções à DOR do cliente insatisfeito.

O CUSTO POR CLIQUE (CPC) 

O custo dos mecanismos de meta pesquisa, exceto em aplicações específicas das próprias plataformas, dependerá do número de cliques que a nossa hiperligação recebe e não do número de reservas. O custo por estadia é reservado para serviços como os já mencionados acima, de tipo «Ins- tant Booking».

Google Hotel Ads: a antiga plataforma Google Hotel Finder é uma plataforma de gestão de anúncios exclusiva para hotéis que exibem o seu hotel no Google.com e no Google Maps.

Através do Google Hotel Ads, o turista pode formalizar a reserva diretamente no seu site, o que permite controlar todo o processo. Nesse caso, o custo pode ser por clique ou por aquisição.

Em geral, lembre-se de que o custo por aquisição sempre lhe interessará quando lhe é oferecida a possibilidade de colocar-se abaixo do mínimo de

10% definido pelo custo por aquisição. Ainda assim, existem sempre dúvidas. O cenário em que, tanto os mecanismos de meta pesquisa como o Google, se desenvolvem, é muito dinâmico e a sua capacidade de adaptação é muito alta. Entre em contacto connosco e o ajudaremos a resolvê-las.

 

Sobre o Autor 

Daniel Madrigal tem uma longa carreira no setor do turismo e, especificamente, na indústria hoteleira. Durante a sua carreira profissional, ocupou diferentes cargos com diversas responsabilidades em empresas como o SEHRS e a HotelBeds. www.paratytech.com 

Envie um comentário