Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Segunda-feira, 2 Agosto, 2021

Role para cima

Top

Sem comentários

Papel do setor hoteleiro na nova economia circular

Papel do setor hoteleiro na nova economia circular

A economia circular surge no setor turístico como um conceito que mistura aspetos ambientais e económicos e cujo objetivo é que o valor dos produtos, materiais e recursos seja mantido na economia pelo maior tempo possível e que seja minimizada a produção de resíduos. 

Para alcançar este princípio, é necessário fechar o ciclo de vida de tais produtos, serviços, materiais e, claro, recursos energéticos. 

O sistema linear de nossa economia atual, cujas diferentes fases incluem extração, fabricação, uso e descarte, é responsável pelo esgotamento progressivo dos recursos naturais. 

Para conter esse fato, a economia circular propõe um novo modelo de sociedade que utiliza e otimiza estoques e fluxos de materiais, energia e resíduos e é eficiente no uso dos recursos. 

Modelo de Sustentabilidade Turística do Instituto Tecnológico Hotelero (ITH) O setor do turismo não pode ficar alheio a este novo modelo, pelo que o Instituto Tecnológico Hotelero (ITH) tem trabalhado há já algum tempo no projeto subsidiado pela Secretaria de Estado de Turismo de Espanha, denominado “Modelo ITH de Sustentabilidade do Turismo”, na análise da possível contribuição do turismo e, em particular, do setor hoteleiro, para a nova economia. 

A tendência normativa empurra para um modelo económico e produtivo baseado na economia circular, então os hotéis devem ser preparados incluindo critérios, elementos e ações baseados nesse modelo económico. Devido ao modelo de negócio de um estabelecimento hoteleiro, as possíveis ações que podem ser aplicadas limitam-se às atividades que realiza e aos procedimentos em vigor.

m novo edifício para uso hoteleiro deve considerar o design ecológico para reduzir os impactos ambientais ao longo do seu ciclo de vida e alcançar a perfeita integração do conjunto arquitetónico do ambiente, sem gerar resíduos, nem emissões de nenhum tipo e utilizando materiais recuperados, reutilizado e reciclado. 

A organização do ponto de vista industrial e territorial é importante para desenvolver uma gestão otimizada de estoques e fluxos de materiais, energia e serviços dentro do território ou destino onde estão localizados, contando com os agentes locais. Desta forma, a sua contribuição positiva para o desenvolvimento da economia local permitirá que ela se desenvolva de maneira circular. 

Os critérios de design de produto não se aplicam principalmente aos hotéis por não fazerem parte de uma indústria produtiva, portanto o hotel deve priorizar a compra de produtos de empresas que incorporaram critérios de economia circular nos seus processos de produção, e Isso deve estar refletido na política de compras.

 

Rent vs. aquisição

Por outro lado, as acomodações turísticas por si só atendem ao critério de economia funcional, pois contribuem para incentivar o uso da posse, a venda de um serviço e o aluguel de um quarto, em lugar da compra de uma propriedade. Ao enfrentar uma reabilitação pode-se considerar o aluguer em vez da aquisição dos bens necessários (móveis, maquinara, etc.), o que permite o  retorno à empresa fornecedora quando já não for necessária ao estabelecimento. Também podem apelar para o segundo conceito de uso, transformando alguns produtos ou materiais noutros destinados à decoração, etc.

 

Alimentos e bebidas 

Na gestão da área de alimentos e bebidas pode ser realizada a reutilização de certos resíduos ou de certas partes deles, que ainda são válidos para o desenvolvimento de novos produtos e alocar aqueles que não tem mais utilização para compostagem ou reciclagem, fechando assim o seu ciclo de vida 

Este conceito envolve evitar materiais e utensílios para uso individual, para que você possa substituir as tradicionais “Amenities” (recipientes de géis ou champôs, etc.) com recipientes recarregáveis que incentivam a redução de recipientes individuais que são removidos do quarto quase cheio. 

Por outro lado, é possível realizar a recuperação de resíduos, aproveitando-os energeticamente (recuperação de calor) e promovendo o uso de energia proveniente de fontes renováveis para facilitar a eliminação de combustíveis fósseis. 

Também é essencial realizar a manutenção preventiva de materiais, equipamentos e maquinarias para evitar paragens e prolongar a sua vida útil, o que também permite a redução da geração de resíduos e a economia de custos na reposição, aumentando o seu ciclo de vida. 

Em resumo, as atividades do setor hoteleiro que mais contribuem para essa nova economia têm a ver principalmente com o aumento do ciclo de vida de materiais e máquinas, o gestão e reutilização da água, e a redução e gestão de resíduos. Da mesma forma, a promoção de compras de proximidade, a redução do desperdício de alimentos e, na medida do possível, a digitalização dos processos administrativos. 

Um valor agregado para os negócios 

Podemos concluir, portanto, que a economia circular pode ajudar as empresas de turismo na tomada de decisões sobre o uso de recursos e minimizando as perdas, proporcionando valor agregado ao negócio e definir um caminho para o bem-estar social e sustentabilidade ambiental para as gerações futuras. 

Além disso, sob as condições certas, pode alterar diversidade económica, e ao mesmo tempo aumentar o emprego. Incorporar na análise da cadeia de valor de como desde o início promover a redução de desperdícios e fornecimentos e prolongar o ciclo de vida dos produtos pode ajudar a melhorar os resultados do hotel

 

Autor: Pinheiro Coralia Responsável pela Área de Sustentabilidade e Eficiência Energética do  Instituto Tecnológico Hotelero (ITH) Espanha

http://www.ithotelero.com

Envie um comentário