Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Quarta-feira, 17 Julho, 2019

Role para cima

Top

Sem comentários

O Google coloca as OTAs em cheque com o novo motor de pesquisa de hotéis

O Google coloca as OTAs em cheque com o novo motor de pesquisa de hotéis

O Google lançou um novo site de pesquisa de hotéis, que poderá colocar as OTAs em sérias dificuldades.

Mais uma vez  sob o título “Ainda está a  tempo de planear a viagem perfeita para as suas férias de primavera”, Richard Houlden, vice-presidente do Google, publicou um artigo em que mostrou os novos recursos deste motor de pesquisa.

Além da atualização do Google Flights e da função “hotéis próximos”, ativada no Google Maps, Houlden apresentou google.com/hotels. O que há por trás desse motor de busca limpo e claro oferecido pelo Google?

Primeiro que tudo, lembra muito  a opção do Airbnb de procurar acomodação diretamente no mapa. Mas isso já era oferecido pelo Google, a novidade é simplesmente unificar num único lugar um número infinito de filtros que ajudarão o viajante a encontrar sua acomodação ideal. Pode pesquisar por quartos com Wi-Fi, com pequeno almoço ou estacionamento gratuito, com bar, restaurante, academia ou piscina, que admitem animais de estimação ou que seja adequado para crianças.

Os resultados também podem ser filtrados com base nos dados de preços atuais e históricos. Mesmo assim, embora as opções não sejam muito diferentes daquelas oferecidas pelo Google até agora, é interessante notar que  há um site dedicado a reservas de hotéis. Não há dúvida de que essa mudança de estratégia está a abalar os pilares da Expedia e da Booking, que gastaram mais de 10,6 mil milhões de dólares em imagem de marca em 2018.

 

Google quer ser o portal de referência

Se há algo que está claro com esta atualização mais recente é que o Google quer tornar-se o portal onde as pessoas decidem o hotel que querem ir e quanto querem pagar por isso. O mecanismo de busca adiciona muito conteúdo orgânico e pago: fotos, avaliações, preços, descrições de quartos, mapas …

O Google pretende derrubar as OTAs na sua capacidade de comprar e comparar hotéis, usando ferramentas como filtros, mapas ou resenhas para definir a pesquisa o máximo possível. Com essa solução, o Google está a posicionar-se como o local onde todas as pesquisas e tomadas de decisões dos hóspedes serão realizadas.

E os hotéis devem aproveitar isso para destacar seu preço direto, porque, provavelmente, eles superaram as OTAs nessa batalha que a Google iniciou. Principalmente de tudo, a Google continuar a permitir que aos hotéis que a reserva seja realizada na sua plataforma  de reservas. 

 

Estruture da Pesquisa

Ao fazer uma pesquisa de hotel em, por exemplo, Granada, o Google posiciona-se acima dos resultados de pagamento que, nesse caso, pertencem a OTAs (Booking, Kayak) e metabusca (Trivago). Em seguida, aparece um destaque onde  pode ver alguns hotéis com diferentes opções de filtragem e também no mapa. Além disso, ao clicar no botão que fecha esse destaque, o viajante acede diretamente o google.com/hotels, onde  pode encontrar todos os resultados.

Ter este painel aqui, antes de chegar à lista de resultados orgânicos, oferece ao viajante uma melhor experiência. Além disso, o fato de poder colocar as datas é uma maneira simples, mas muito eficiente de manter o usuário. Isso, sem dúvida, convidará  a permanecer no ambiente do Google, sem visitar a Central de Reservas, Expedia ou TripAdvisor.

E é isso inserindo as datas e indo diretamente para a plataforma Google Hotel e com os filtros intermináveis, concentram a pesquisa ao máximo.

 

Resultados personalizados

Mas o quem é o Google para destacar esses hotéis e não outros? Baseia-se principalmente no nosso histórico de pesquisas. Antes da busca de Granada, havíamos feito outra em Madrid, filtrando os resultados para um  máximo de 70 euros por dia.

Com essa pesquisa, destacamos os resultados nessa margem de preço. Se fizermos a pesquisa na opção anónima, os hotéis que aparecem mudam. Mesmo se procurarmos pelos mesmos dias. Ou seja, a grande novidade é que o Google modifica a maneira como os usuários veem os resultados com base no seu comportamento de pesquisa.

No entanto, ainda não está claro se a Google permitirá que os hotéis promovam os seus quartos nesta primeira etapa da pesquisa. Mesmo assim, uma vez dentro da nova plataforma de hotéis, o Google oferece “ofertas pendentes” aos usuários.

Em resumo, o Google personaliza os resultados da pesquisa nessa nova plataforma, multiplica as opções por meio de filtros e simplifica a interface para facilitar a reserva ao usuário o máximo possível. Tudo isso, combinado com opções como o Book on Google, deixam as grandes OTAs em uma situação complicada que, se quiserem manter o seu reinado, terão que investir muitos milhões de euros em imagem de marca.

Por sua vez, graças ao compromisso decidido do Google com o setor de viagens, os hotéis ganharam um importante aliado para aumentar as  suas reserva diretas. Enquanto as condições da Google não mudarem.

Se  quiser descobrir mais sobre as novas alterações do Google, Lily McIlwain, chefe de conteúdo da Treatease, conta tudo num amplo artigo da Hospitalitynet.

Envie um comentário