Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Terça-feira, 26 Outubro, 2021

Role para cima

Top

Sem comentários

Quais as qualidades que fazem um bom anfitrião?

Quais as qualidades que fazem um bom anfitrião?

A Booking.com revela as razões que levam os viajantes a escolher acomodações exclusivas. Além disso, dá aos anfitriões as chaves de como fornecer um toque pessoal para garantir a melhor experiência para seus hóspedes, independentemente do tipo da acomodação. 

Os viajantes nunca tiveram tantas opções à sua disposição para planejar suas viagens, portanto, desempenhar bem o papel de anfitrião pode ser crucial para os clientes escolherem uma acomodação ou outra. Um estudo da Booking.com, que envolveu mais de 21.500 pessoas, indica que quase dois terços dos viajantes em todo o mundo (63%) acreditam que melhorou a sua estadia graças ao excelente serviço que recebeu da pessoa que administrava o alojamento.

 

Se o viajante gostar do  anfitrião, volta.

Não importa se é o gerente de um B & B que gosta de dar conselhos sobre a área, o proprietário de um apartamento que cuida de todos os detalhes da estadia dos seus clientes ou administrador de uma villa que cozinha pessoalmente para os hóspedes no seu alojamento, O que realmente determina a experiência dos clientes é a personalidade dos anfitriões. 

Este estudo da Booking.com revela que mais da metade dos viajantes (51%) optaram por reservar a mesma acomodação novamente, principalmente pelo anfitrião.

O papel desempenhado pelos anfitriões continuará a ter um peso muito importante para os viajantes que procuram estadias alternativas este ano. Mais da metade dos entrevistados (69%) estão a planear ficar em alojamento em 2019, onde podem interagir com o proprietário ou gerente que vai vê-los todos os dias como se tivesse acabado de recebê-los.

 

O objetivo: sentir-se em casa

Este estudo também indica que, enquanto alguns viajantes ficam felizes que o anfitrião simplesmente os recebe na chegada, outros têm expectativas mais altas dos seus hospedeiros quando viajam.

Para 66% dos viajantes de todo o mundo, a principal vantagem é  sentir-se em casa, e 62% acham que o benefício mais importante é a informação prática que recebem dos anfitriões, uma vez que conhecem muito bem a área onde esta implantada a unidade de alojamento.

Além disso, 45% acreditam que essa informação é essencial para manter o orçamento que possuem, pois ajuda a economizar dinheiro evitando as armadilhas para turistas. Proprietários ou gerentes de alojamento também são essenciais para aqueles que gostam de socializar enquanto viaja: 44% dos entrevistados dizem que quando viajam procuram  expandir o seu círculo de amigos, e seria um prazer que o anfitrião os convida para sair para festejar .

 

Um sexto sentido? 

No entanto, o trabalho dos anfitriões e proprietários não se limita a festas. Nem sempre é fácil saber como oferecer a melhor experiência possível, especialmente quando nem todos os convidados esperam o mesmo nível de proximidade de seus anfitriões. 

Mais da metade (52%) de viajantes de todo o mundo só esperam ver o anfitrião no momento da chegada para recebê-los, e mais de um terço (36%), apenas espera entrar em contacto com eles para fazer o Check-in e o check-out. 

O mais complicado é que alguns viajantes esperam que o anfitrião tenha um sexto sentido e saiba onde estão os limites da experiência pessoal para cada cliente. 69% acreditam que os anfitriões devem saber intuitivamente quanto tempo devem passar com seus convidados. Para quatro em cada cinco viajantes (79%), isso também significa respeitar os limites de seu espaço pessoal, já que a privacidade é muito importante. 

 

Simpatia e simpatia, as chaves 

Uma aposta segura para os gerentes de acomodação é adotar as qualidades que a maioria dos viajantes procura em todo o mundo. Um sorriso sincero pode ser a chave para receber comentários positivos, e 75% dos viajantes de todo o mundo esperam encontrar alguém amigável na sua chegada. 

Oferecer um toque pessoal, como um produto típico da região, também pode fazer a diferença: alguns extras como chá, café e aperitivos ajuda 45% a sentirem-se integrados no destino a que acabam de chegar. 

Além disso, a hospitalidade pode ser diferente dependendo do país. Ao analisar os resultados por nacionalidade, para hóspedes provenientes da Índia (84%), Colômbia (80%) e do Brasil (80%) é necessário garantir que os clientes comem bem (em comparação com a média mundial de 69%), enquanto que para os tailandeses (74%) e chineses (60%) o mais importante é que seus clientes se divirtam (a média mundial é de 46%). 

Para 79% dos anfitriões italianos, os pequenos detalhes permitem criar um ambiente acolhedor, como acender a lareira ou as velas (neste aspeto, a média mundial é de 68%). 

Envie um comentário