Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Quarta-feira, 17 Julho, 2019

Role para cima

Top

Sem comentários

Turismo sustentável, um imperativo moral para o setor hoteleiro

Turismo sustentável, um imperativo moral para o setor hoteleiro

O turismo sustentável é uma tendência. Os viajantes têm cada vez mais consciência disso, e o setor hoteleiro começa a conscientizar-se.

Em primeiro lugar, para  atrair esses turistas responsáveis ​​e conscientes e, em segundo lugar, para reduzir os custos. Finalmente, o turismo sustentável tornou-se, não apenas uma prioridade, mas um imperativo moral para os líderes do setor.

E, de acordo com o Cambridge Institute for Sustainability Leadership (Instituto de Cambridge para a Liderança da Sustentabilidade), o turismo contribui aproximadamente com 5% das emissões de gases de efeito estufa no mundo, um número que deve chegar aos 130% em 2035.

Por sua vez, a International Tourism Partnership (Associação do Turismo Internacional) adverte que, para que o setor hoteleiro se encaixe no Acordo de Paris, terá que reduzir o seu gás de efeito estufa por quarto e por ano em 90% até 2050 (em comparação com a situação do ano de 2010).

Sem dúvida, são dados que estimulam a reflexão, principalmente tendo em conta a previsão atual do crescimento do setor.

Nos últimos cinco anos, o setor hoteleiro cresceu de 2,3% em todo o mundo, a ponto de faturar mais de 1,28 bilhões de Euros em 2018 (IBISWorld, 2018). Nesse ritmo, mais de 80.000 hotéis serão adicionados à oferta existente até 2050.

Tendo visto isso, o desafio que enfrentamos não é menor. Como foi explicado no Trivago pelo Dr. Willy Legrand, especialista em hotelaria sustentável, temos que desenvolver o setor, acomodando cada vez mais hóspedes e construindo cada vez mais estabelecimentos, e ao mesmo tempo reduzindo a sua pegada de carbono para alcançar a descarbonização total até 2050.

 

Tendências atuais em hotéis sustentáveis

 De acordo com o Dr. Legrand, cujos conhecimentos em matéria de hotelaria sustentável têm sido fundamentais para a redação deste artigo, “uma parte importante do setor hoteleiro está a ser adicionar a uma mobilização sem precedentes em todo o mundo para mitigar o impacto ambiental negativo e enfrentar os vários desafios sociais que nos esperam».

O Dr. Legrand aponta várias tendências do setor que são essenciais para que um hotel se torne ecológico, por exemplo:

 

1 — Eliminar o desperdício de alimentos
Como? Cultivando alimentos nas instalações, comprando produtos locais e modificando as normas sociais para garantir que o desperdício de alimentos deixe de ser aceitável (Benjamin Lephilibert, HYB2018).

 

2 — Minimizar o consumo de água além dos quartos
Além de incentivar os hóspedes a tornar-se conscientes da sua utilização de água e toalhas, alguns estabelecimentos estão a implementar elementos inovadores como os chuveiros que filtram a sua própria água (Inge Huijbrechts, HYB2018).

 

3 — Eliminar o plástico

A eliminação de produtos plásticos descartáveis ​​é um passo além da reciclagem. Assim, podemos reduzir a enorme quantidade de resíduos derivados da fabricação e do descarte posterior desses artigos. Livrar-se das garrafas e dos sacos de plástico é um excelente ponto de partida (Jeanne Varney, HYB2020).

 

 4 — Conservar a energia

Esse “método economicamente sustentável” é eficaz e fácil de aplicar, por exemplo, redesenhando a experiência dos hóspedes para incentivá-los a adotar comportamentos adaptativos. Para isso, podemos substituir o minibar e a cafeteira de cada quarto por uma área comum aberta a todos os hóspedes (Christopher Warren, HYB2020).

 

5 — Criar um hotel sem papel

É um alvo muito fácil de alcançar com um sistema de gestão hoteleiro moderno, que simplificará as operações e otimizará a experiência dos hóspedes enquanto se reduz as emissões de carbono (Terence Ronson, HYB2018).

 

Integrar a sustentabilidade na arquitetura do hotel

Em relação à construção de novos estabelecimentos, o foco “dos três zeros” pode ser adotado: utilizar materiais de construção e de mão de obra local (zero quilómetro), dar prioridade à gestão da energia e à redução das emissões (zero dióxido de carbono), e introduzir a gestão do ciclo de vida dos produtos no processo de construção (zero resíduos) (Matteo Thun, HYB2020).

 

Para um futuro ecologista

Além do nobre objetivo de alcançar a descarbonização total, existem fatores económicos e publicitários que impulsionam também a tendência do setor em direção à sustentabilidade.

A Organização Mundial do Turismo das Nações Unidas prevê que, até 2020, cerca de 1.600 milhões de viagens terão respeitado o ambiente.

É então que o respeito pelo ambiente passa a ser uma questão desejável nos hotéis a uma prioridade essencial para um número crescente de viajantes conscientes do meio ambiente e da sociedade.

Isto é especialmente notável entre as novas gerações de viajantes e hóspedes dos hotéis.

Um estudo sobre os hábitos e comportamentos dos millenniais de consumo, realizado pelo conglomerado de média Nielsen, disse que a sustentabilidade é uma prioridade para esta geração tão influente e propensa a viajar. De fato, 66% das pessoas pesquisadas no mundo (11% mais do que o ano passado) “pagariam mais por produtos e serviços de empresas comprometidas com a sociedade e o ambiente”. E até 83% dos turistas pagariam também mais para um hotel sustentável.

Assim, ao comprometer-se com a ecologia, os estabelecimentos não apenas atraem os viajantes conscientes de hoje, mas também conseguiram que os hóspedes cuidem do ambiente sem comprometer a qualidade da sua viagem.

O que um hotel precisa para obtê-lo?

Hoje, não existe um conjunto único e universal de critérios para qualificar oficialmente um estabelecimento como sendo respeitoso do ambiente.

No entanto, o Conselho Mundial de Turismo Sustentável (GSTC, para a sua sigla em Inglês), o organismo que gere os padrões mundiais das viagens e do turismo sustentáveis, criou os critérios do GSTC e os Indicadores Sugeridos para hotéis com o objetivo de “chegar a um consenso sobre o que se entende por turismo sustentável». A ideia é unificar todos os critérios dos inúmeros sistemas de certificação de hotéis ecológicos, como Green Key, Green Star Hotel Certificate, etc.

A organização descreve os critérios do GSTC como ” sendo o mínimo que um hotel (ou qualquer tipo de estabelecimento) deve aspirar a alcançar”.
Os hotéis que desejam obter um reconhecimento oficial como estabelecimentos ecológicos podem entrar em contacto com um dos vários organismos de certificação credenciados pelo GSTC através o mundo.

Uma última reflexão sobre os hotéis sustentáveis

Como se pode deduzir dos números, muito trabalho ainda deve ser feito para tornar o setor hoteleiro economicamente sustentável. Pode ser intimidante, mas a verdade é que cada medida, cada passo dado para reduzir a pegada de carbono em qualquer vertente do setor, é fundamental.

“A gestão hoteleira sustentável não significa que uma empresa tente fazer o máximo esforço num determinado mercado,” explica o Dr. Legrand “, mas que todo um setor trabalhe em conjunto para enfrentar os desafios ambientais e sociais explorando ideias, soluções e estratégias de desenvolvimento dos hotéis do futuro e gerir o seu funcionamento de maneira sustentável».

 

Envie um comentário