Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Domingo, 22 Setembro, 2019

Role para cima

Top

Os preços dos hotéis mantém-se nos centros de negócios europeus

Os preços dos hotéis mantém-se nos centros de negócios europeus

A American Express Gobal Business Consulting (GBT) lança uma nova edição do Hotel Monitor 2020, onde analisa os fatores que podem afetar os preços dos hotéis no próximo ano.

Esta análise é baseada num modelo que combina os dados de reserva dos últimos 7 anos com indicadores macroeconómicos e dados da indústria hoteleira, incluindo dados de ocupação e os rendimentos por quarto. 

A indústria hoteleira está no auge em muitos destinos de todo o mundo. O volume de viagens de negócios e ócio continuam a crescer, mesmo com as tensões comerciais internacionais no continente que debilitam as perspetivas económicas. Apesar disso os dados trabalhados pela GBT, mostram que nas principais capitais do mundo, os preços dos hotéis e restaurantes mantêm-se estáveis ou registam modestos aumentos. 

Mas há outros fatores que são mais importantes que o preço, por exemplo, os viajantes de negócios estão cada vez mais interessados em se alojarem em hotéis de coworking e em que ambiente seja descontraído. Uma tendência que marca as marcas de hotéis conhecem, e em que estão a começar a investir. 

A tecnologia também é muito importante para o Hotel Monitor 2020. A inovação digital está impulsionar a mudança em todos os setores da hotelaria, criando novas oportunidades para otimizar os custos e melhorar a experiência dos viajantes.

 

A construção de hotéis, está no auge 

Segundo os dados do Hotel Monitor 2020 os preços dos hotéis deverão permanecer estáveis nos principais centros de negócios europeus. Isto deve-se a um crescimento económico moderado em 2019, seguida de um aumento moderado durante o próximo ano. 

A isto há que somar o auge hoteleiro na Europa atingido este ano. No final de 2018, a carteira de construção hotéis na Europa atingia as 1.599 unidades, com mais de 

240.000 quartos, um dado que cresce 19% ao ano. 

Um crescimento que está a a acontecer apesar das regiões não crescerem todas ao mesmo ritmo e a pesar das incertezas do Brexit e das consequências económicas que dai podem advir. Atualmente, a Alemanha lidera este processo com 379 projetos de hotéis em em construção. No segundo lugar, se encontra o Reino Unido, com 281 hotéis em processo de construção. 

A maioria das construções são de grandes cadeias 

A maioria deste novos hotéis são propriedade das grandes cadeias (IHG, Hilton, Marriott e Radisson), se bem que outras marcas e hotéis mais populares como Holiday Inn ou Hampton by Hilton, tenham bastantes projetadas em marcha. 

Porém, mais do que a construção de novas unidades, muitos que estão imersos em reformas para poder providenciar uma melhor experiência aos hóspedes. Por exemplo, a cadeia  Ibis Accor tem em marcha de remodelação dos vestíbulos de todos os seus hotéis para criar de espaços acolhedores que permitam trabalhar em companhia de forma relacional. 

Por último, cabe destacar que cada vez mais as cidades têm-se movido contra o critério desmedido do Airbnb e plataformas semelhantes de alugueres para férias. Amesterdão, Madrid e Munique, são capitais europeias, que se estão a mover para pressionar essas plataformas, que estão a causar a saída dos residentes autóctones dos bairros do centro e históricos. 

De todas as formas, não se pode ignorar que cada vez mais viajantes de negócios optam por alugar apartamentos turísticos com características de lazer. 

 

Os preços na Europa em 2020 

Se os preços dos hotéis nas cidades de negócios mais importantes da Europa se vão manter mais ou menos estáveis, já no caso de caso de Madrid, os preços dos hotéis subiram 4%. Este aumento de preços, o mais alto de toda a Europa, segundo o Hotel Monitor 2020 traduzindo o aumento da atividade económica na capital espanhola. 

Em 2018 os investimentos internacionais na indústria hoteleira espanhola bateram recordes, sendo Madrid o principal alvo. 

Atras de Madrid, Bruxelas, Dublim e Paris os preços irão subir à volta de 3% Por último, apenas se notarão aumentos em Amesterdão, Frankfurt, Londres, Roma, Estocolmo (1%) e Munique (0%).

 

Clique para consultar  –  Hotel Monitor 2020