Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Sábado, 29 Janeiro, 2022

Role para cima

Top

Verride Palácio de Santa Catarina: uma elegante viagem no tempo

Verride Palácio de Santa Catarina: uma elegante viagem no tempo

Abertas há quase dois anos, as portas do Verride Palácio Santa Catarina funcionam também como um conector entre mundo contemporâneo e o glorioso passado lisboeta.

O charme do edifício datado do século XVII, somado a uma decoração requintada, resultam em uma experiência digna da nobreza. Para além, o palacete está localizado junto ao Miradouro de Santa Catarina, com destaque ao terraço que permite a vista de 360º sobre a capital portuguesa e também o Rio Tejo.

E tudo isso só é possível pelo delicado projeto de renovação e transformação do imóvel, que teve início ainda em 2003, com as primeiras negociações para a compra, concluída em 2012. O projeto hoteleiro estava formatado desde 2010, mas a reforma e restauro começaram somente quatro anos depois. Sob responsabilidade de arquiteta Teresa Nunes da Ponte, que trabalhou com Andrea Previ para a decoração dos interiores, o projeto teve sempre como prioridade a preservação das catacterísticas únicas do palacete.

Como exemplo, destacam-se pormenores decorativos, como os pombalinos, o estilo Beaux-art no piso real do edifício, onde as decorações académicas começaram a tomar lugar no século XX. A remodelação do imóvel possibilitou, para além da recuperação do espaço, a descoberta de tesouros escondidos e, talvez, até mesmo esquecidos. Foi o caso dos tetos abobadados da área hoje usada para eventos, num dos pisos inferiores, que estavam cobertos por várias camadas de teto falso e hoje ficam à vista de todos. Também neste espaço, as mesas que são utilizadas foram feitas a partir do antiogo assoalhado, numa forma de preservar a madeira após a reinterpretação do pavimento, à imagem da Igreja de S. Roque, situada na baixa pombalina de Lisboa.

Ainda em termos estéticos, um toque moderno foi acrescentado, com uma linha harmônica limpa e rigorosa, a fornecer um visual contemporâneo apesar dos elementos do passado. O resultado deste intenso projeto, além da aprovação dos hóspedes e da comunidade local, veio também por meio de premiações. No ano passado, por exemplo, o hotel recebeu o Prémio acional de Melhor reabilitação Urbana. Nomeado para os World Luxury Awards, venceu o prémio de Best Luxury Palace Hotel in Europe. A nomeação repetiu-se em 2019, com o acréscimo de participação também nos Haute Grandeur Awards.

Mas o hóspede do Verride Palácio Santa Catarina tem à disposição não somente o luxo das acomodações e a história de cada detalhe do edifício. Com um conceito acolhedor, o hotel tem como prioridade estar próximo de seu cliente, com a oferta de um serviço Taylor-made e o lema “Sinta-se em casa fora de casa”. Para assegurar isso, são ofertadas ao hóspede 19 opções de acomodação, divididas em oito categorias.

Nos Quartos Bica, que possuem em média 34 m², destaca-se a decoração com linhas modernas e cores neutras, a contrastar com as coloridas fachadas do Bairro da Bica, um dos mais antigos de Lisboa. Já na Ala Superior Vista Cidade, há uma visualização panorâmica sobre os tradicionais telhados da capital, com acomodação em uma área média de 31 m². Já nos quartos Superior Vista Rio, o diferencial fica por conta do Rio Tejo, para o qual se tem uma vista privilegiada. No interior, o hóspede encontra a elegância e conforto modernos numa atmosfera palaciana, em um espaço médio de 35 m².

Em tons azul e bege, as Suítes contam com móveis feitos sob medida e um design sereno, estando repletas de luz natural e com vista para o Rio Tejo ou para a cidade, em um espaço médio de 40,5 m². Mais adiante estão as Suítes Prestige, amplas e de traça pombalina, com prevalência de tons pastel em contraste com ricos apontamentos de azul. Situadas nos pisos superiores do Palácio, usufruem de muita luz e contam com uma área média de 47 m².

Já a Suíte Premium, com uma área de 57 m², dispõe de uma sala de estar separada da área de dormir, para proporcionar o máximo conforto, além de vista para o rio e para a cidade. Na sequência, estão os quartos da Suíte Real e Ala Real, uma verdadeira amostra da opulência das famílias nobres do início do século XVIII. Com a preservação de detalhes originais, como tetos esculpidos em madeira, paredes cobertas com painéis de azulejos, estuques em estilo rococó e painéis de seda pintados à mão, estas suntuosas acomodações têm uma área média de 81m² cada, podendo ser conectadas pela magnífica Sala Amarela, o que transforma o espaço em uma área única 200m².

O luxo, bom atendimento e a riqueza histórica a que o hóspede tem acesso garantem também os bons resultados registrados pela unidade até agora. Com um significativo aumento na taxa de ocupação no primeiro semestre do ano, alcançando a marca de 63%, o hotel projeta crescimento de 10% para 2020. O ticket médio é de 688€ e o período médio de estadia é de três dias.

Tecnologia e sustentabilidade

Para tornar os processos mais sustentáveis e práticos, é adotada na unidade toda e qualquer tecnologia que possa aumentar a eficiência e assegurar uma melhor estadia aos hóspedes e clientes. Nomeadamente, são utilizadas ferramentas que permitem o check-in online e uma aplicação é utilizada para os pedidos de room-service. Em questões de eficiência energética, o aquecimento de águas é feito por meio da utilização de painéis solares, por exemplo.

Para além, mantendo-se fiel ao próprio país, desde o início o projeto do hotel prioriza fornecedores nacionais, o que mostra sua preocupação em dinamizar a economia portuguesa. O objetivo é não somente ter materiais e produtos de qualidade na unidade, mas também mostrar ao hóspede o melhor que o país tem a oferecer em todos os sentidos e caminhos possíveis.

Restaurantes

Para além da hospedagem, o Verride Palácio de Santa Catarina abre suas portas aos portugueses e demais interessados, por meio de oferta na restauração. O restaurante Suba, por exemplo, serve os almoços e jantares em um ambiente mais requintado, com um menu executivo com sugestões semanais do Chef. Ao jantar, há três diferentes opções de menus de degustação com quatro, cinco e sete momentos, dispondo ainda um vasto menu à La Carte. Já o Rooftop oferece uma vista inigualável de 360 graus sobre a cidade de Lisboa. O ambiente neste espaço é mais informal e oferece aos clientes uma carta mais descontraída e leve. Os cocktails marcam sempre o fantástico final de tarde com vista para o Rio Tejo.