Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Segunda-feira, 2 Agosto, 2021

Role para cima

Top

Poderá o Blockchain reinventar programas de fidelização?

Poderá o Blockchain  reinventar programas de fidelização?

Segundo o último relatório da Bond sobre programas de fidelização, continuam a aumentar em todas as empresas e setores. O relatório mostra que cada pessoa em média integra a 14,8 programas de fidelização.

Somente em 2019, o total de gastos com programas de fidelização foi estimado em 323.000 milhões. No entanto, as pessoas só são ativas apenas na metade dos programas a que pertencem. Ou seja, na maioria das vezes, os programas de fidelização não atingem os objetivos a que se destinam.
E, segundo os dados da Bond, o setor de viagens apresenta uma das taxas mais baixas de satisfação, segundo a pesquisa realizada com 55.000 consumidores em todo o mundo, apenas 37% dos membros do programa de fidelização de hotéis dizem estar satisfeitos com o programa Nas companhias aéreas, os dados melhoram um pouco atingindo os 42%.

Mercado global de troca de pontos de fidelização
Com esses dados em mente,  poderá o blockchain fornecer soluções para reduzir o custo desses programas e, ao mesmo tempo, aumentar o comprometimento e a satisfação dos clientes?
A Phocuswire, conversou com Animesh Ghosh, fundador da KornChain, uma empresa que está a criar um mercado global para a troca de pontos de fidelização baseado em blockchain e chamado LoyalT.
“O setor da fidelização foi privado de tecnologia”, diz Ghosh, que vem do setor financeiro e bancário. «Alguns dos maiores clientes acumulam vários pontos de fidelização que não são resgatados e isso é um risco. Se alguém possui muitos pontos de fidelização sem os resgatar, significa que o programa de fidelização não está a funcionar».
Ao usar contratos de blockchain inteligentes para definir e automatizar (e, portanto, acelerar) todo esse processo de recompensas, as empresas reduzem os custos de gestão e de pessoal dos seus programas de fidelização. E, ao criar um hub de programa de fidelização de todos os tipos, seguro, transparente etc, e com um conjunto de regras específicas, os membros do programa de fidelização podem obter recompensas de vários fornecedores e trocá-los na rede sem nenhum custo sob a forma de ‘pontos perdidos’, que incentiva a atividade quando se trata de ganhar recompensas.

«O mercado atual é excessivamente caro»
Para Ghosh, as opções que existem atualmente são extremamente caras. «Existe uma empresa chamada Points.com que permite que faça essas alterações. Ou seja, se tenho pontos, por exemplo, da Delta Air Lines e quero convertê-los em Icelandair, posso fazê-lo, mas perco 70% do valor desses pontos de fidelização. Esta é a situação atual. Queremos que o custo para o cliente seja zero ”, diz ele.
“No nosso caso, se uma empresa tiver um programa de fidelização e quiser permitir que os clientes o usem noutro lugar, esse cliente não perderá nada. E trazemos dinheiro para a empresa na forma de pontos de fidelização”, acrescentou.
O KornChain já trabalha com o IAG (International Airlines Group), entre outras grandes empresas do setor. Além disso, está a começar a incorporar uma variedade de pequenas e médias empresas em mais de 20 países que poderão criar novas opções para os membros do programa de ffidelização se ingressarem nesse novo sistema descentralizado. Por exemplo, os clientes de uma pequena cafeteria de Londres poderiam usar seus pontos de fidelização para obter descontos em um voo da British Airways. Interessante,certo?