Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Terça-feira, 26 Outubro, 2021

Role para cima

Top

Como usar a data science para melhorar o SEO do nosso site?

Como usar a data science para melhorar o SEO do nosso site?

Recentemente, começamos a ver como o SEO muda drasticamente à medida que o Google decide alterar seu algoritmo. Já lá vai o tempo em que um pequeno ajuste de conteúdo ou marcação correta no título permitia que estivéssemos nos primeiros resultados da pesquisa.

O algoritmo do Google agora é muito mais difícil de decifrar do que antes e é preciso estar sempre atualizado, pois 75% dos usuários afirmam nunca ir além da primeira página de resultados nas suas pesquisas. Isso obriga-nos a competir em termos de SEO, para superar as técnicas básicas que funcionaram tão bem para nós no passado. A ciência de dados entra em cena.

O que é a data science?

A data science é um campo interdisciplinar que envolve métodos, processos e sistemas científicos para extrair conhecimento ou uma melhor compreensão dos dados nas suas diferentes formas, estruturadas ou não, que é uma continuação de alguns campos de análise de dados, como estatísticas, mineração de dados, aprendizado de máquina e análise preditivas.

A descrição anterior, vinda da Wikipedia, não deixa muito claro um conceito que já por si soa a complicado. O data science é algo como uma combinação de várias ferramentas, algoritmos e princípios de machine learning, projetados com o objetivo de revelar padrões ocultos, utilizando dados brutos.

Por que precisamos disto?

De acordo com a Universidade de Maryville, durante 2020, cada pessoa gerou 1,7 megabytes de informação por segundo. Portanto, saber sobre big data será essencial se quisermos sobreviver num mundo de informações tão colapsado.

A ciência de dados fornece informações valiosas sobre o desempenho de um site, informações que podem ajudar-nos a melhorar as nossas campanhas de SEO. Essa ciência é usada para fazer previsões sobre as tendências futuras, para descobrir como o usuário se comportará por meio de análise e machine learning. Por exemplo, analisando os gostos dos seus clientes, a Netflix é capaz de produzir uma série sabendo que vai ser o seu mais que provável futuro sucesso.

Como o SEO pode ajudar?

A ciência de dados  ajuda-nos a tomar decisões muito mais concretas, pois permite:

1 Visualizar quais as combinações que têm o potencial de ter o maior impacto sobre os potenciais visitantes do nosso site.

2 Criar campanhas de marketing alinhadas aos gostos e necessidades dos nossos clientes. 

3 Compreender as preferências dos nossos clientes e identificar possíveis fragilidades. 

4 Identificar as fontes de referência de tráfego de conversão, ou seja, de onde os usuários acedem ao nosso site. 

5 Verificar o tempo de carregamento da web, a indexação, a taxa de rejeição, os erros de resposta, os redirecionamentos … 

6 Verificar os URLs mais e menos rastreados. 

7 Identificar as páginas que queremos que os rastreadores não indexem. 

8 Identificar fontes de tráfego incomum. 

Mas como é que esta ciência de dados se aplica aos nossos dados de SEO? 

1. Selecione as fontes de dados 

Temos que entender que a qualidade das nossas fontes de dados tem um impacto direto no conhecimento desses dados. Precisamos das ferramentas certas para rastrear métricas importantes com mais precisão. Existem várias ferramentas que podem ajudar-nos a recolher os dados corretamente para tomar melhores decisões. Entre eles, destacam-se o Google Analytics, SEMrush ou o Ahrefs

2. Vamos pensar em ‘ecossistema’ em vez de dados e ferramentas 

Não podemos confiar em uma única solução se o nosso SEO for complexo e se integrar a outras áreas do marketing digital, como marketing de conteúdo, gestão da experiência do cliente, CRO (Otimização da Taxa de Conversão) ou vendas. 

A abordagem que a Data Science deve dar ao SEO é baseada na inclusão de métodos, ferramentas e práticas que extraiam informações profundas e precisas do acumulado de dados. Por exemplo, SEMRush apresenta estatísticas assumindo que todo o tráfego é bom e genuíno. 

Mas tem certeza de que não há nenhum bot que está atrapalhando esses resultados? Portanto, é importante incorporar ferramentas de verificação da qualidade do tráfego, como Finteza. Graças à sua tecnologia avançada, é capaz de detetar bots, bem como fornecer um conjunto completo de módulos de otimização de funil, para ajudar a tornar os nossos dados mais significativos. 

3. Alinhe o SEO com as iniciativas de marketing 

Apoiar o SEO com outras iniciativas de marketing torna-o mais forte. Vendas, TI, designers, desenvolvedores web, experiência do cliente, atendimento ao cliente … todas essas equipes devem ser coordenadas a fim de otimizar todos os fatores de pesquisa. 

A ciência de dados determina quais as práticas de SEO que são as melhores para cada equipe da empresa atingir os seus objetivos. Para entender como o SEO afeta outros canais, temos que analisar os dados de: 

• Principais rotas de conversão. 

• Conversões e conversões assistidas.

Obter uma compreensão clara do mapa da jornada do cliente permite estabelecer um alinhamento mais forte entre as várias atividades de marketing, bem como atribuir resultados às campanhas facilmente.

4. Melhore a visualização de dados com Data Science

É muito difícil digerir todos os números empilhados em num ecrã. A abordagem hierárquica dos dados pode causar a perda de informações ocultas nas entrelinhas. Portanto, melhorar a maneira como visualiza os dados ajuda a:

• Comparar e contrastar.

• Processar grandes volumes de dados em escala.

• Acelerar a descoberta de conhecimento.

• Revelar perguntas ocultas.

• Detetar padrões e tendências comuns.

Se aproveitarmos a  data science durante uma auditoria técnica de SEO, podemos receber informações detalhadas sobre o status e o desempenho de nosso website. Podemos usar esses dados para aprender mais sobre a autoridade da página, classificações, número de links externos e de entrada por página, bem como outros fatores.

No entanto, não saberemos por que algumas páginas têm melhor desempenho do que outras nos resultados de pesquisa. Levar em consideração os links internos do site e descobrir a autoridade dos domínios numa escala de um a dez (como o Google) nos ajuda-nos a tomar medidas pró-ativas para melhorar a classificação dessas páginas.

A otimização de SEO no próprio site é apenas um exemplo de como os especialistas em posicionamento combinam a visualização de dados com a Ciência de Dados para fornecer melhores resultados de pesquisa.

Em conclusão, a ciência de dados  concentra-se em eliminar as suposições do SEO. Em vez de nos gabarmos do que funciona e como uma ação específica afeta os nossos objetivos, precisamos começar a usar a Ciência de Dados para descobrir o que nos dá esses resultados e como podemos quantificar o nosso sucesso.