Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Terça-feira, 2 Março, 2021

Role para cima

Top

Passaporte sanitário, passo necessário para a reativação do turismo

Passaporte sanitário, passo necessário para a reativação do turismo

O passaporte sanitário é assumido como a solução mais adequada para o turismo voltar ao normal. A cada semana surgem novas iniciativas de empresas com o objetivos de facilitar a retomada das viagens internacionais.

Mas este passaporte é apenas mais uma peça de um quebra-cabeça complicado que devemos construir se quisermos viajar com segurança novamente. Mas, acima desse passaporte, estão os padrões e a interoperabilidade;  ou seja acordos sobre vacinas e testes e  cruzamento de dados para criar uma experiência simples para os viajantes.

Esses foram os tópicos mais importantes do debate virtual organizado pelo Plug and Play Tech Center e reunidos pela Phocuswire. Aeroportos, companhias aéreas, governos e IATA estiveram presentes no debate. Este passaporte sanitário será viável?

Viena, aeroporto – PCR

Viena foi o primeiro aeroporto do mundo a realizar testes PCR no próprio aeroporto. Além disso, um teste piloto realizado com a Lufhtansa serviu para verificar se todos os passageiros puderam ser testados sem atrasos no processo de embarque.

“O que falta é que esta prova seja aceita na chegada ao aeroporto de destino”, disse Gunther Ofner, co-CEO do Aeroporto de Viena. “Portanto, acho que temos que mobilizar todas as forças possíveis para encontrar esses padrões comuns e usar essas ferramentas digitais para que as viagens possam retornar.”

Da Comissão de Transportes e Turismo do Parlamento Europeu, Claudia Monteiro de Aguiar afirma que esta organização pretende fomentar o debate e a construção de consensos para que, à medida que as viagens sejam retomadas, não haja “descoordenações” que ocorreram no início de a pandemia.

“Não queremos que os Estados membros ajam unilateralmente. Queremos que esse tipo de solução seja reconhecido como comum, rápido e lucrativo ”, explica. Na sua opinião, agora é o momento de analisar como serão implementadas, como será preservada a privacidade dos dados dos passageiros e como será tratada nos diferentes transportes, sejam em aviões, navios ou comboios.

Integrado em aplicativos

Para Jeremy Drury, da Star Alliance, a próxima etapa deve ser os clientes poderem escolher qual passaporte digital de saúde desejam usar para armazenar as suas credenciais COVID, mas cada um deles deve ser aceito por qualquer companhia aérea.

Alguns palestrantes afirmaram que seria melhor se esses sistemas de verificação fossem integrados diretamente aos aplicativos das companhias aéreas.

Mesmo com tudo, o mais importante neste momento é tornar a tarefa o mais fácil possível para os viajantes. “Além disso, devemos restaurar a confiança dos governos de que as soluções que apresentamos são escalonáveis ​​e de que podemos processar uma grande quantidade de dados quando os passageiros decidem viajar novamente”, conclui Frederic Leger da IATA.

Claro, se a ação não começar agora, o setor de turismo está convencido de que não haverá como salvar o verão

 

Siga a TecnoHotel Portugal nas redes sociais

 

https://www.linkedin.com/showcase/tecnohotel-portugal/?viewAsMember=true

 

 

https://www.facebook.com/tecnohotelpt/