Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Sábado, 29 Janeiro, 2022

Role para cima

Top

Com certificados digitais e testes, restrições devem ser levantadas

Com certificados digitais e testes, restrições devem ser levantadas

Com o avanço do processo de vacinação em Portugal e o aumento da testagem, as empresas de restauração, similares e do alojamento turístico devem poder utilizar estas ferramentas para funcionar em pleno, sem restrições, ou para reabrir negócios atualmente fechados, como a animação noturna.

Foi ontem decidido, em Conselho de Ministros, que passam a ser exigidos certificados digitais ou testes negativos para acesso a estabelecimentos turísticos e de alojamento local, em todo o território continental, e para permanência no interior dos restaurantes, nos municípios de risco elevado e de risco muito elevado.

Considerando o Governo que a obrigatoriedade de testes e certificados é uma medida que ajuda a controlar a situação pandémica, então as restrições ao funcionamento dos estabelecimentos de restauração, similares e do alojamento turístico devem ser levantadas, nomeadamente a limitação horária e de lotação, devendo ainda ser permitido o funcionamento dos estabelecimentos de animação noturna, encerrados há mais de um ano.

Não obstante a importância desta medida, a especificidade das nossas atividades económicas exige um período de adaptação. Existem reservas confirmadas, hóspedes instalados e muitas incertezas quanto à respetiva operacionalização, pelo que uma medida desta amplitude requer tempo e clareza.

A AHRESP tem sistematicamente sinalizado a necessidade de compensarmos o impacto das medidas sanitárias nas empresas, com as respetivas medidas económicas. A evolução desta crise sem fim esgotou por completo a tesouraria das nossas empresas, que já não têm qualquer capacidade para suportar mais custos.

Neste sentido, a AHRESP irá apresentar ao Governo um novo plano, com medidas concretas de apoio às empresas da restauração, similares e do alojamento turístico. A bem das empresas, dos profissionais e da economia do País, é imperioso o reforço de apoios a fundo perdido, pois só assim será possível assegurar a sobrevivência dos negócios e a manutenção dos milhares de postos de trabalho.

Tags