Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Segunda-feira, 27 Setembro, 2021

Role para cima

Top

Green Alley Award 2022: Candidaturas abertas

Green Alley Award 2022: Candidaturas abertas

Com o Green Alley Award, o Grupo Landbell convida as startups a mostrar sua tecnologia, serviço ou produto para a economia circular, onde recursos são economizados e o desperdício é minimizado. As inscrições já estão abertas e estarão disponíveis até dia 23 de novembro de 2021. A startup vencedora receberá prémio no valor de 25 000€.

Sintra, 14 de setembro de 2021 – O Green Alley Award é o primeiro prémio Europeu para a economia circular, criado em 2014 pelo Grupo Landbell. Neste âmbito, os fundadores e as startups são convidados a submeter a sua candidatura em www.green-alley-award.com e as melhores ideias serão selecionadas para um pitch ao vivo, a decorrer em abril de 2022.

O Green Alley Award 2022 é direcionado a startups e jovens empreendedores que desenvolveram um modelo de negócio nas áreas de economia circular digital, reciclagem e prevenção de resíduos. Os patrocinadores deste prémio procuram empresas que estão prestes a lançar os seus produtos ou serviços ou que já se encontram em fase de crescimento. Neste sentido, também serão acolhidas startups que pretendam expandir o seu negócio para outros mercados europeus. A única condição é que a ideia de negócio ajude a reduzir o desperdício ou transforme o desperdício em recursos.

 

“Queremos incentivar novas ideias e modelos de negócio para economizar recursos e reduzir o desperdício”, afirma Jan Patrick Schulz, CEO do Grupo Landbell. ‘”Existem tantas ideias criativas por aí. O nosso objetivo é fomentar e promover jovens empreendedores e conectá-los à nossa vasta rede de especialistas em economia circular em toda a Europa.”

 

Os Vencedores – um amplo conjunto de conceitos

 

Seja no desenvolvimento de materiais sustentáveis, ideias para a redução de resíduos ou ferramentas digitais úteis, a economia circular é um tema com enorme potencial de negócios para as startups. A diversidade de conceitos dos vencedores do Green Alley Award nos últimos anos mostra isso claramente. Por exemplo, materiais sem resíduos (Alemanha), vencedor do prémio em 2021, em que uma tecnologia com patente pendente transforma resíduos da indústria agrícola numa alternativa sustentável ao plástico. Em 2019, a startup estoniana Gelatex Technologies convenceu o júri com sua ideia única de uma alternativa ao couro convencional feito de um subproduto de gelatina. Em 2017, a startup finlandesa Sulapac apresentou a madeira biodegradável como alternativa às embalagens de plástico para a indústria de cosmética. O vencedor do primeiro Green Alley Award, em 2014, foi a startup finlandesa RePack, com o serviço de embalagens reutilizáveis para o setor de comércio eletrónico.

 

 

O processo de candidatura

 

  1. As startups são convidadas a realizar a sua inscrição até 23 de novembro de 2021.
  2. Um número pré-selecionado de startups será colocado no site do Green Alley Award para votação do público. A startup com a maioria dos votos ficará automaticamente entre as seis finalistas e as restantes cinco serão selecionadas pelo júri de especialistas.
  3. No dia 28 de abril de 2022, os seis finalistas serão convidados a participar em sessões de trabalho em Berlim, onde se encontrarão com especialistas e startups que trabalham em economia circular. No final do dia, cada um dos finalistas terá a oportunidade de apresentar a sua ideia a um júri especializado e um público internacional.

 

 

Os apoios – transformando a economia linear em circular

 

O prémio anual Green Alley foi criado em 2014 pelo Grupo Landbell, fornecedor líder de serviços ambientais globais, juntamente com o pioneiro de crowdfunding da Alemanha, Seedmatch. Este desafio tem, também como media Partner a Positive News, plataforma de notícias com sede no Reino Unido.

O júri é composto por líderes experientes do Grupo Landbell, bem como especialistas externos, incluindo Martin Wright, palestrante de economia circular e Presidente da Positive News, e Anne Lamp, CEO e cofundadora da startup que ganhou o prémio em 2021.