Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Terça-feira, 26 Outubro, 2021

Role para cima

Top

Economia circular e descarbonização: hotéis procuram sustentabilidade

Economia circular e descarbonização: hotéis procuram sustentabilidade

Produzir, usar e deitar fora? Não, reduza, reutilize e recicle. Os hotéis estão a começar a entrar neste novo modelo de economia circular. 

Fazem-no por convicção, mas também porque a União Europeia decidiu investir na sustentabilidade. E se quisermos aceder aos famosos fundos da Próxima Geração, teremos de assumir este tipo de projetos verdes.

Este foi o pano de fundo do debate organizado na ITH Innovation Summit sob o título “Economia Circular, Direito das Alterações Climáticas e Fundos Europeus de Next Generation“, no qual participaram César Pérez, Diretor de Qualidade e Sustentabilidade da Vincci Hoteles e Gabriel Llobera, Vice-Presidente Executivo garden group e CEO da Garden Hotels. O debate foi moderado por Ana Isabel Díaz, Consultora Sénior de Energia e Ambiente do Grupo FI.

Em cadeias como a Vincci, a sustentabilidade é um pilar fundamental do seu modelo de negócio. “Tentamos transformar o desperdício em recursos, ligando-o aos planos da RSE. Agora também estamos imersos em projetos para eliminar plásticos, reduzir produtos químicos e resíduos alimentares”, diz César Pérez.

Mas é evidente que, na maior parte das vezes, as administrações não acompanham os tempos. “Por exemplo, separamos os recursos orgânicos e a câmara municipal não os recolhe. Além disso, se tiver uma cadeia moderadamente grande, tem de estar sujeito a 17 legislações diferentes”, acrescenta.

Gabriel Llobera da Garden Hotels concorda que temos de trabalhar antes da lei. “Há seis anos começámos a procurar borrego criados  orgânicamente, para dar carne verdadeira nos nossos hotéis”, começa. Compraram aquele cordeiro nas Ilhas Baleares e começaram a falar com pequenos agricultores e agricultores nas ilhas. “Tinham necessidades em que nós podíamos intervir. Agora convertemos resíduos orgânicos em composto. Também usamos a poda dos jardins dos nossos hotéis e compostamos tudo em Maiorca”, diz.

Consegue-se assim um composto de qualidade que se trocam com os agricultores da zona.” Também evitamos plásticos de uso único e as comodities do hotel são de produção local. Estamos também a usar material reciclado, reciclar e reutilizar, e reutilizável, por isso devolvemos as embalagens ao produtor para que a reabastecer”, explica Gabriel. Por sua vez, envolveram pessoas em risco de exclusão social no projeto.

Rumo à descarbonização

Outra das grandes frentes abertas tem a ver com a Estratégia de Descarbonização a Longo Prazo projetada pelo Governo. O objetivo desta lei é alcançar a neutralidade climática até 2050.

Por exemplo, no Vincci iniciaram este processo alterando a fonte de energia, que já é renovável. “A maior parte da empresa já tem energia verde”, reconhece. O principal objetivo é atingir essa descarbonização total em 2030, embora seja complicado ser um grupo tão descentralizado.

Embora a pedagogia para os hóspede também seja muito necessária. “Nas Ilhas Baleares temos um grave problema de água, e trabalhamos arduamente para sensibilizar a redução do consumo de água ou para desligar a eletricidade quando não se está no quarto”, explica Gabriel. Na sua opinião, “isto vai muito além do próprio hóspede, porque esta consciência leva-a para casa”. Por sua vez, salienta que já optaram por consumir energia aero-térmica para emitir menos CO2. “E estamos a tentar criar um parque de energia fotovoltaica nas Ilhas Baleares, mas a administração é novamente mais lenta do que nós quando se trata de conceder licenças.”

César também concorda que os hotéis são um bom orador para muitas iniciativas sustentáveis. “Ainda somos casas grandes, por isso é preciso muito bom senso e cuidado para que a gestão seja eficiente.”

 

Autor:  David Val Palao