Estudo

Estudo eDreams ODIGEO

Em 2022 os portugueses deram preferência a destinos europeus e viagens de curta duração. ● Paris volta a ser o destino favorito dos portugueses em 2022, seguido de Londres e Madrid. Os viajantes nacionais continuam a preferir viagens curtas, de até quatro dias, e reservam-nas com pouca antecedência.

05-11-2022 . Por TecnoHotel Portugal

Estudo eDreams ODIGEO

As tendências mais destacadas do ano são viagens a solo, a conciliação de lazer e trabalho nas viagens e o aumento dos nómadas digitais.

– A eDreams ODIGEO, a maior companhia de viagens online da Europa, líder global em venda de viagens aéreas (excluindo a China) e uma das maiores empresas europeias de e-commerce, acaba de publicar o seu estudo anual “A Year in Travel 2022”, que oferece uma visão geral das preferências e comportamentos dos viajantes em 2022 e prevê já algumas tendências para o próximo ano.

 

Os destinos preferidos dos portugueses

Este ano, Paris voltou a ser o destino de eleição dos viajantes portugueses, sendo a cidade para onde mais viajaram – e, de resto, uma preferência comum a nível internacional. Seguiu-se Londres, também a segunda cidade mais visitada nos resultados globais, e depois Madrid. Outros destinos populares foram Barcelona, Funchal, Bruxelas, Ponta Delgada, Luxemburgo, Genebra e Amesterdão, revelando uma clara inclinação para viagens na Europa.

 

Entre os destinos que os portugueses mais pesquisaram este ano, encontram-se Paris, Londres, Funchal e Barcelona – o que permite perceber que acabaram por viajar para os locais em que inicialmente pensaram.

 

Por outro lado, os destinos que mais cresceram em 2022 face ao ano passado[1] (em termos de reservas efetuadas) foram Marraquexe (327%), em Marrocos, e Bilbau (213%), em Espanha. Globalmente, os destinos que registaram um maior crescimento das reservas em comparação com 2021 foram Denpasar (1478%), na Indonésia, Singapura (1446%) e Bangkok (1188), na Tailândia – o que se deve à reabertura das viagens para a Ásia, após um longo período em que tal não era possível devido às restrições impostas pela pandemia.

 

 

Os hábitos de reservas dos portugueses

A eDreams ODIGEO olhou também para os hábitos de viagem dos portugueses em 2022, nomeadamente a duração das suas estadias, a antecedência com que efetuaram reservas e a distância das viagens realizadas.

 

Tal como já se tinha verificado no ano passado, os portugueses parecem continuar a dar preferência a viagens curtas, de até 4 dias (53%); no entanto, as estadias de duração média, entre 7 a 13 dias, ganharam terreno (20%). Apenas uma minoria escolheu realizar viagens entre 5-6 dias (16%), 14-20 dias (5%) ou mais de 21 dias (6%).

 

No que toca às reservas, quase metade (47%) dos inquiridos portugueses continua a marcar viagens de última hora, até 15 dias antes da data de partida – uma tendência que se acentuou na pandemia e que se tem mantido até aos dias de hoje, apesar da diminuição das restrições, e se reflete também a nível internacional (45%).

 

A eDreams ODIGEO pôde ainda perceber que os portugueses voltaram a preferir viagens na Europa (78%) a viagens dentro do próprio país (14%) ou para fora do continente europeu (8%). Em 2022 observou-se um aumento significativo das viagens continentais, a par de uma redução das viagens nacionais - o que demonstra que os portugueses sentem cada vez mais confiança para voltar a viajar e sair do país, agora que o pior da pandemia parece ter passado.

 

As tendências de 2022

Este ano, tornou-se claro que os portugueses estão a optar cada vez mais por viagens a solo – sobretudo porque querem ter controlo total sobre os planos de viagem e viajar de forma mais tranquila, livre e independente. Este tipo de viagens também lhes permite tornar-se mais resilientes e autossuficientes e aproveitar a sua própria companhia.

 

Misturar trabalho com prazer está a tornar-se também cada vez mais comum, à medida que as gerações mais jovens procuram conciliar as suas carreiras com a vontade de conhecer o mundo. Assim, tiram partido da flexibilidade laboral que a pandemia permitiu descobrir e aproveitam para realizar viagens que combinam dias de trabalho com dias de lazer.

 

Finalmente, o crescimento dos chamados “nómadas digitais” é outra tendência com grande impacto no setor do turismo, motivado pela mudança dos padrões de trabalho e o aumento de oportunidades de trabalho remoto. Para isto contribui também pela criação de vistos e programas fiscais flexíveis pensados para nómadas digitais por parte dos governos de alguns países – como é o caso de Portugal.

 

Um primeiro olhar para 2023

Por fim, o estudo da eDreams ODIGEO procurou olhar para o futuro das viagens e traçar o caminho do próximo ano. Foi possível concluir que as reservas dentro do continente europeu parecem manter-se na mira dos viajantes portugueses – sendo Paris, Funchal, Ponta Delgada e Barcelona os destinos mais reservados para 2023. Contudo, os destinos que os portugueses mais pesquisam para viajar no próximo ano são Paris, São Paulo, Rio de Janeiro, Londres e Nova Iorque, indicando alguma vontade de retomar as viagens de longa distância.

 

Em suma, 2022 ficou marcado por um regresso gradual à normalidade, que também se notou no setor das viagens, que permanece em franca recuperação. Viajar continua a ser uma grande prioridade para os portugueses, que querem explorar novos países e culturas e manter o seu estatuto de “descobridores do mundo”.

 

Dana Dunne, CEO da eDreams ODIGEO, comentou: “Os dados falam por si mesmos: os consumidores estão a aproveitar para viajar sempre que podem. Os dados das nossas reservas mostram que as viagens curtas ainda são as mais proeminentes, demonstrando que os consumidores tentam encaixar férias em todas as ocasiões possíveis; de facto, quase um terço das viagens dura apenas 3-4 dias. Esta tendência pode também ser representativa dos regimes de trabalho mais flexíveis, que permitem aos viajantes levar o seu computador e trabalhar no estrangeiro, enquanto aproveitam um fim de semana prolongado num destino entusiasmante.

 

Os nossos dados globais também mostram que os viajantes têm sido espontâneos a fazer reservas, com quase metade destas (45%) a acontecer apenas 15 dias antes da partida, ou mesmo menos. Assim podemos ver o desejo dos consumidores de aproveitar cada dia, depois de terem adiado os seus planos de viagem por tanto tempo.

 

Um calendário recheado de eventos desportivos e a coroação do Rei Carlos III de Inglaterra são a receita perfeita para impulsionar a procura por destinos europeus, como Londres ou Paris, em 2023. À medida que vemos a pandemia cada vez mais ‘no nosso retrovisor’, esperamos que as viagens continuem a intensificar-se no próximo ano.”

 

 

 

Metodologia

O estudo “A Year in Travel” da eDreams ODIGEO foi compilado utilizando dados de reservas das suas marcas (eDreams, Opodo, Go Voyages e Travellink) entre 1 de janeiro e 29 de setembro de 2022, para viagens a realizar entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2022, para qualquer destino no mundo. As comparações efetuadas com anos anteriores englobam estas mesmas datas. países inquiridos incluíram a Alemanha, Espanha, Estados Unidos da América, França, Itália, Noruega, Portugal, Reino Unido e Suécia.

 

Sobre a eDreams ODIGEO

A eDreams ODIGEO é uma das maiores empresas de viagens online do mundo e uma das maiores empresas europeias de e-commerce. A empresa é o segundo maior vendedor de voos a nível global e o maior da Europa. Através das suas quatro marcas líderes de agências de viagens – eDreams, GO Voyages, Opodo e Travellink, e o motor de meta-pesquisa Liligo – serve anualmente mais de 17 milhões de clientes em 44 mercados. Cotada na Bolsa Espanhola, a eDreams ODIGEO trabalha com mais de 690 companhias aéreas e mais de 2.1 milhões de hotéis. A empresa criou o Prime, o primeiro programa de subscrição no setor das viagens, que já ultrapassou os 3.5 milhões de membros desde o seu lançamento em 2017. A marca oferece os produtos de melhor qualidade e a mais ampla escolha em voos regulares, companhias low-cost, hotéis, pacotes dinâmicos, cruzeiros, serviços de aluguer de automóveis e produtos de seguros de viagens, para tornar as viagens mais fáceis, mais acessíveis e de maior valor para os consumidores em todo o mundo.

 

[1] Note-se que as percentagens refletem mercados perturbados e poderão estar enviesadas devido ao encerramento, durante a pandemia, de alguns países que reabriram em 2022.

 

Revista digital

TecnoHotel Portugal nº22 novembro/dezembro

TecnoHotel Portugal nº22 novembro/dezembro

Newsletter

Seja o primeiro a receber todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.