Marketing

5 chaves de marketing para impulsionar a recuperação do hotel

Com o objetivo de impulsionar totalmente a recuperação do hotel, existem 5 chaves de marketing que as acomodações podem pôr em prática.

02-04-2022 . Por TecnoHotel Portugal

5 chaves de marketing para impulsionar a recuperação do hotel

Se os levarem em conta, podem atrair hóspedes que estão a começar a movimentar-se novamente. Acima de tudo, é interessante ter em conta que a época alta está cada vez mais próxima.

Na Expedia consideram que "é tempo de nos prepararmos para o regresso das viagens". Por isso, prepararam o relatório "O caminho para a recuperação do hotel para ajudar as acomodações a atrair potenciais hóspedes". Para isso, é necessário enviar a mensagem certa no momento certo.

Ou seja, com base nas preferências dos consumidores, determinaram quais são as cinco chaves de uma estratégia bem sucedida, o que contribui, sem dúvida, para aumentar as reservas. Além disso, estão confiantes de que isto, acrescentado ao facto de o turismo continuar a desempenhar "um papel importante na aproximação das pessoas", é um claro sinal de que a indústria está a recuperar.

Como estamos de recuperação agora?

Já não é novidade que a instabilidade reina na indústria. Desde que a pandemia irrompeu no início de 2020, a falta de certeza tornou-se a única certeza. É algo que todo o sector assumiu. No entanto, há indícios de que está a decorrer um relançamento do turismo.

Por exemplo, o volume de procura para a Páscoa indica que as pessoas querem circular. Além disso, o estudo Traveler Sentiment and Influences 2020-2021 da Expedia mostra que as saídas domésticas ganharam popularidade em 11 países. Portanto, parece claro que viajantes de todo o mundo querem voltar aos trilhos.

É claro que as suas exigências mudaram. Não é só o facto de estarmos perante um novo perfil de hósopedes mais impaciente, e que também exigem coisas diferentes. As experiências ganharam destaque, assim como as viagens em família. Da mesma forma, o bleisure tem vindo a ganhar seguidores, porque a flexibilidade de combinar trabalho com lazer permite-lhe ir mais longe.

Ao mesmo tempo, parece que, pouco a pouco, o movimento internacional está a voltar aos trilhos. No caso de Espanha, o turista nacional continua a ser o principal, mas as elevadas taxas de vacinação incentivam as pessoas a ir mais longe. Expedia diz mesmo que 57% dos inquiridos se sentem confortáveis em locais onde a vacinação é generalizada.

As 5 chaves de marketing a serem preparadas

Com base nos dados obtidos pela OTA oferecem 5 elementos muito importantes que os departamentos dos hotéis devem ter em conta. Desta forma, estarão prontos a tempo no regresso dos turismas.

1. Comunicar bem as políticas de flexibilidade

Para aumentar a confiança dos hóspedes, é importante comunicar exatamente que políticas flexíveis a unidade hoteleira oferece. A possibilidade de cancelar em caso de não poder deslocar-se é um valor essencial que se tornou indispensável após a chegada do Covid-19. Até 53% dos clientes sentem-se mais confortáveis em viajar se tiverem a opção de aceder a um cancelamento total com a possibilidade de recuperar o seu dinheiro.

Sublinham que é especialmente um valor muito importante para as gerações mais novas. Também para a população latino-americana e viajantes chineses. Por conseguinte, é aconselhável não estar seguro de que os clientes sabem, é necessário esclarecer na web e em meios publicitários as normas relacionados com devoluções, reservas flexíveis e alterações de data.

2. Apostar em protocolos de desinfeção

A melhoria das medidas de segurança sanitária deve ser essencial. Os hóspedes estão interessados em protocolos, uma vez que têm um impacto direto na sua decisão. Pelo menos 8 em cada 10 viajantes reservam ou não de acordo com a política do hotel a este respeito. Na verdade, uma em cada duas pessoas evitou ficar em certas instalações por questões de higiene.

Claro que também tem de comunicar as opções que a unidade hoteleira  criou. A comunicação pró-ativa através de canais digitais é uma boa prática. Quanto aos protocolos que são aplicados, incluem desinfeção das instalações, uso de máscara por funcionários e hóspedes, serviço de quarto e aposta no check-in sem contacto.

3. Os reviews são mais importantes do que nunca

Os viajantes consultam 41% mais reviews do que antes da pandemia para  tomar uma decisão. Além disso, 75% têm em conta, especialmente os dados relacionados com aspetos como a limpeza do quarto ou o estado geral do hotel. Portanto, tem de tratar destes reviews. Embora possa parecer que não está nas mãos do hotel controlar o que os seus hóspedes pensam online, a realidade é muito diferente. Para começar, a partir do hotel os clientes devem ser encorajados a deixar comentários, através de técnicas como e-mails ou links que poderão ser colocados em cartões nos quartos.

É importante que o pessoal correspondente esteja disponível para responder no prazo de 24 horas após a sua emissão. Isto mostra compromisso. No caso da review ser negativa, é necessário responder adequadamente para reparar a reputação. Algumas chaves são  agradecer ao hóspede pelo seu nome, pedir desculpas, enfatizar as mudanças que vão ser feitas e avaliar se é necessário proceder de alguma forma, como contactar diretamente esta pessoa.

4. Certifique-se de que o hotel se destaca durante a busca

O peso que as fontes de informação online têm ganho nos últimos anos é inegável. Os hóspedes procuram informação e inspiração antes de viajarem, especialmente em comparação com antes da pandemia. Assim, deve ser implementada uma estratégia de marketing multicanal para garantir que a marca está bem posicionada.

Desta forma, o hotel estará no centro quando potenciais hóspedes estiverem sonhando, procurando ou reservando. Por isso, é recomendável também estar em várias plataformas, uma vez que as pessoas consultam várias fontes para recolher toda a informação que consideram indispensável. Ou seja, é necessário alinhar a mensagem que é lançada em todos os canais, de modo a que seja consistente.

5. Desenvolver promoções para cada alvo

Para personalizar a mensagem para cada alvo, tem de estar ciente dos seus interesses. Desta forma, podem ser criadas promoções específicas para apelar às suas necessidades durante a viagem. Naturalmente, existem também preocupações gerais, que já discutimos e que estão relacionadas com a flexibilidade e a higiene.

 

Além disso, cada geração é particular. Assim, as mulheres mais jovens são mais otimistas sobre o futuro das viagens. Por isso, esperam que as comodidades estejam ao mesmo nível que antes da pandemia. Em suma, para chegar aos millennials (1981 – 1995) e Z (1996 - 2010) é interessante oferecer promoções relacionadas com a possibilidade de trabalhar ou estudar remotamente. Por sua vez, interessam-se por áreas com um baixo volume de turismo.

No caso da Geração X (1965 – 1980) e dos baby boomers (1946 - 1964), procuram uma mudança de cenário. Assim, podem ser surpreendidos com paisagens surpreendentes e ambientes ao ar livre. Enquanto isso, aqueles que nasceram antes de 1946 querem escapadelas familiares com acomodações adequadas à idade.


RECOMENDADO PELOS LEITORES

Revista digital

TecnoHotel nº19 mai/jun 2022

TecnoHotel nº19 mai/jun 2022

Newsletter

Seja o primeiro a receber todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.