Marketing

Se escrever o mesmo texto no site do seu Hotel e na OTA… Está fazer um erro

Com a atualização do algoritmo do Google anunciado muito recentemente, nosso site deve deixar de lado conteúdos superficiais e esquemáticos e focar-se em conteúdos mais profundos, narrativos e originais.

02-09-2022 . Por TecnoHotel Portugal

Se  escrever o mesmo texto no  site do seu Hotel  e na OTA… Está fazer um erro

Ou seja, o conteúdo (seja audiovisual ou textual) deve ser único, credível atraente e deve contar histórias convincentes sobre nosso hotel. O objetivo é convencer os hóspedes da nossa proposta de valor.

Mas cuidado: não podemos mentir ou distorcer a realidade. Os hóspedes lerão o seu site, mas também as opiniões de outros usuários. E  podem até visitar alguns meios de comunicação profissionais para ver o que está a ser dito sobre o hotel. Ou seja, o usuário tem três fontes possíveis para decidir sobre um hotel: a opinião de outros hóspedes, a opinião de um meio de comunicação especializado e a opinião do próprio hotel, ou seja, o conteúdo oficial. Quanto maior a lacuna entre o “conteúdo oficial” e o conteúdo gerado por outros usuários, menos credível será esse conteúdo oficial. Os hóspedes vão confiar muito mais nas avaliações de outros hóspedes do que no que o próprio hotel possa dizer.

Portanto, ao criar o nosso conteúdo oficial, temos que prestar atenção ao que os usuários dizem sobre nós e também ao que a comunicação social especializada e os blogueiros de viagens podem pensar... Por exemplo, se os viajantes classificam nosso hotel como um lugar idílico para viajar em casal (embora não consideremos apenas para adultos) é melhor repensarmos  isso no nosso conteúdo oficial. Mesmo assim, não é necessário fechar as portas de outros possíveis clientes. Poderíamos dizer algo assim: "Não somos exclusivamente um hotel 'só para adultos', mas temos o prazer de confirmar que os casais que nos visitam reconhecem que a experiência que tiveram no nosso alojamento é extraordinária."

O perigo de cortar e colar

Por outro lado, o nosso site deve apostar em conteúdo original. Estamos num mundo onde “recortar e colar” é rei, por isso não é surpreendente ver o mesmo conteúdo duplicado de um site para outro. O Google penaliza isso e premia quem aposta em conteúdo único e original. Não se preocupe, se alguém mais tarde copiar seu texto,  o Google saberá que o original é seu e penalizará os outros.

Mesmo assim, há um problema que normalmente não levamos em consideração: quando o conteúdo é duplicado no seu site e na OTA onde anunciamos. Temos que ser muito rigorosos com isso e não repetir o mesmo texto em nenhum lugar. Sabe por quê? Porque neste caso prevalece o texto do site com maior rank e posicionamento (e também aquele que o Google considera o melhor para o  cliente), ou seja, o texto OTA. Portanto, se não queremos que o Google penalize nosso site, não vamos 'cortar e colar' ao anunciar nossos quartos no Booking ou no Expedia.

Em suma, o Google é cada vez mais severo com essas práticas e considera-as  diretamente como spam. Por isso, quando duas páginas repetem o mesmo texto ou são muito parecidas (mesmo que sejam da mesma empresa ou compartilhem uma URL), uma delas sofrerá uma penalidade de posicionamento no seu buscador.

O que a Google  gosta num link

O debate de que os hotéis têm de colaborar com as OTAs e os motores de metabusca está mais do que encerrado, mas temos de ser inteligentes na hora de disponibilizar os nossos textos. Além disso, os mecanismos de metabusca, por exemplo, adicionam um link para o nosso site entre as suas opções de reserva e isso é algo que o Google gosta muito. O buscador é apaixonado pelos chamados “backlinks”, pois cada um desses links para o nosso site de sites de renome e de boa classificação como os motores de metabusca se traduz num voto de confiança em relação ao nosso site.

Por esse motivo, os hoteleiros precisam ser muito cuidadosos e evitar contribuir com conteúdo duplicado para OTAs e mecanismos de metabusca para evitar que o site do hotel perca o posicionamento e desapareça dos resultados de pesquisa. Obviamente, uma coisa é disponibilizar uma lista de quartos disponíveis, serviços, tipo de espaços para reuniões, horários de piscina... e outra é repetir no nosso site os textos descritivos que disponibilizamos aos canais de distribuição. Estes devem ser significativamente diferentes... então é hora de se ser criativo.

Infelizmente, isso é algo que normalmente não acontece. É muito mais fácil copiar e colar do que escrever novas descrições dos nossos hotéis acomodações e quartos. O resultado desse tipo de prática é que a web direta sucumbe à OTA ou ao mecanismo de metabusca, já que esses gigantes tecnológicos conhecem técnicas de SEO e marketing de conteúdo muito melhor do que o hotel. Então já sabe: aposte em textos originais, credíveis e criativos... mas nunca repetitivos.


RECOMENDADO PELOS LEITORES

Revista digital

TecnoHotel Portugal nº21 setembro/outubro

TecnoHotel Portugal nº21 setembro/outubro

Newsletter

Seja o primeiro a receber todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.