Outros

Valência vai ser a Capital Verde Europeia 2024

A cidade de Valência faz uma tentativa pioneira de se tornar neutra em termos climáticos e ser inteligente até 2030 e o atual modelo de desenvolvimento urbano sustentável mereceram-lhe esta designação, na qual competiu como finalista com a cidade italiana de Cagliari.

07-11-2022 . Por TecnoHotel Portugal

Valência vai ser a Capital Verde Europeia 2024

Valência foi eleita Capital Verde Europeia 2024, distinção com que a Comissão Europeia reconhece e recompensa cidades com mais de 100.000 habitantes que tenham implementado projetos para reduzir o seu impacto ambiental e melhorar a qualidade de vida.

O anúncio foi feito dia 27 de outubro na cidade francesa de Grenoble, a atual Capital Verde Europeia, onde representantes de Valência defenderam uma candidatura cheia de valores ambientais. Para além da criação e proteção de espaços verdes como o Parque Natural de Albufera, o pomar periurbano e os Jardins de Turia, a cidade está também envolvida em iniciativas de mobilidade sustentável, boa gestão de resíduos urbanos e a recuperação de espaços públicos como a Praça da Câmara Municipal e a Plaza de la Reina, entre outros.

Além disso, Valência tem outras credenciais de sustentabilidade importantes, tais como o título de Capital Europeia do Turismo Inteligente 2022 e a Capital da Alimentação Sustentável em 2017. Foi também pioneira na medição e compensação da pegada de carbono e utilização de água para fins turísticos e é uma das 100 cidades selecionadas pela União Europeia para o projeto da Missão Cidades, com o objetivo de alcançar a neutralidade climática até 2030.

 

Este prémio, dotado de 600.000 euros, significa que Valência passou um exame exaustivo da sustentabilidade na cidade através de 12 indicadores tais como: ar, ruído, resíduos, água, natureza e biodiversidade, uso do solo, eco-inovação, mitigação das alterações climáticas, adaptação às alterações climáticas, mobilidade, eficiência energética e gestão governamental.

Esta é a primeira vez que Valência se candidata à Capital Verde Europeia, distinção que até agora só foi atribuída a uma cidade espanhola (Vitoria, 2012), e que a torna uma referência para a sustentabilidade urbana e políticas de transição ecológica.

Passado, presente e futuro de uma cidade sustentável

Valência tem espaços verdes por todo o lado. Algumas das  suas  jóias como grandes pulmões são o Jardim de Turia, o antigo leito do rio Turia, que desde a sua inauguração em 1986, tem vindo a mudar e a adaptar-se à cidade, mas também aos seus cidadãos e ao seu modo de vida. Com mais de 120 hectares de superfície e 12 quilómetros de comprimento, é o parque urbano mais longo da Europa.

Outras áreas como o Parque Natural de Albufera, o Parque Natural de Turia, o pomar periurbano e o Mar Mediterrâneo, constituem o principal grupo de zonas verdes e naturais da cidade de Valência e dos arredores.
 

Espaços pedonais e mobilidade sustentável

Valência tem vindo a sofrer várias mudanças no núcleo urbano nos últimos anos. A pedonalização do centro da cidade, bem como dos enclaves mais importantes da cidade, foram transformados graças a projetos desenvolvidos no âmbito da Estratégia Urbana 2030, que visa fazer de Valência uma das primeiras cidades neutras em termos de carbono na Europa.

A recentemente inaugurada Plaza de la Reina, bem como as ruas em redor do Mercado Central, ou em breve a Praça da Câmara Municipal, vão libertar o centro de Valência de trânsito para a transformar numa cidade para peões. Deve também notar-se que as ruas de Valência têm uma rede de mais de 160 quilómetros de ciclovias que ajudam a reduzir as emissões de CO2.

 

Sobre VISIT VALÈNCIA

VISIT VALÈNCIA é uma Fundação sem fins lucrativos, na qual participam a Câmara Municipal de Valência, a Câmara de Comércio, a Feria València e a Confederação Valenciana de Empresas, juntamente com a maioria das empresas locais do setor do turismo. O seu objetivo é a gestão estratégica e promoção da cidade de Valência no domínio do turismo, com uma abordagem profissional e transversal que combina interesses públicos e privados. Desde a sua criação em 1991, a Fundação tem contribuído para a evolução do turismo na cidade, favorecendo o emprego, o desenvolvimento turístico e um aumento do impacto económico, fatores que têm tido um impacto direto no bem-estar da sociedade valenciana. 


RECOMENDADO PELOS LEITORES

Revista digital

TecnoHotel Portugal nº22 novembro/dezembro

TecnoHotel Portugal nº22 novembro/dezembro

Newsletter

Seja o primeiro a receber todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.