“Mira Mira by Ricardo Costa”: o segundo restaurante com assinatura do Chefe abre no WOW

“Mira Mira by Ricardo Costa”: o segundo restaurante com assinatura do Chefe abre no WOW

O restaurante Mira Mira, localizado no WOW, tem agora assinatura do Chefe Ricardo Costa. Com dois menus de degustação – um deles vegetariano -, pratos à carta e uma seleção de vinhos que inclui pequenos produtores.

O renovado Mira Mira traz uma visão mais descontraída sobre o fine dining, não dispensando o respeito pela sazonabilidade e gastronomia portuguesa já reconhecido no Chefe com duas estrelas Michelin.

 

Mira Mira by Chefe Ricardo Costa: a nova assinatura traz uma vida renovada ao restaurante do WOW, aberto desde 2020, mas também à carreira do Chefe, que abre no Quarteirão Cultural de Vila Nova de Gaia o seu primeiro restaurante fora de um hotel.

 

“Encontrei no Mira Mira o local ideal para começar este projeto. Por um lado, pela segurança de estar igualmente integrado no grupo The Fladgate Partnership, com quem tenho uma relação longa e de confiança mútua. Por outro lado, o nome e o espaço já existentes cativaram-me – percebi que estava aberto o caminho para concretizar uma nova forma de aplicar a minha gastronomia, mantendo a liberdade de criar todo o conceito e pensar cada detalhe, dos pratos aos vinhos”, explica o Chefe Ricardo Costa.

 

A liderança do Mira Mira vem somar-se ao reconhecido e multipremiado trabalho como Chefe Executivo do hotel The Yeatman. O percurso de 13 anos assume o seu esplendor no restaurante Gastronómico, que arrecadou duas estrelas Michelin sob a liderança de Ricardo Costa.

 

“Há elementos que não irei dispensar no Mira Mira: a inspiração na tradição portuguesa e o respeito pela origem do produto, pois são basilares na minha cozinha. Contudo, mantendo a exigência e o rigor de um fine dining, quero trazer a este restaurante uma postura mais descontraída da cozinha. Esta forma mais leve e espontânea de trabalhar e criar é algo que tenho procurado, mas, aqui, essa visão e capacidade de experimentação sairão reforçadas”, detalha Ricardo Costa.

 

O agora (também) Chefe do Mira Mira desenvolveu dois menus de degustação, a que chamou “Colheita”, em referência a estes novos “frutos” da sua carreira e à incontornável ligação ao vinho, que se estende do The Yeatman ao WOW. Uma das propostas (150€ por pessoa) é totalmente vegetariana, uma cozinha não só apreciada como incentivada pelo próprio Chefe.

 

Na versão com carne e peixe (150€ por pessoa), a experiência começa com três requintadas combinações servidas no exterior do Mira Mira, marcado pela vista para o Douro e Porto: Fish & Chips, Bola de Berlim & Queijo e Echalota & Foi gras. Este primeiro momento encerra-se, ainda na esplanada, com um último aperitivo de Mexilhão, um cremoso onde se destacam também os perceves ou o camarão da costa.

 

O menu prossegue, já na sala principal do Mira Mira, cujo aspeto moderno inspirou um menu que prima por criações mais “urbanas, jovens e versáteis”, como as classifica o próprio Chefe, que aposta, em cada prato, numa combinação de dois a três ingredientes-chave.

 

Mollejas (glândula de vitela) combinadas com Bloody Mary de crustáceos e acelga dão continuidade ao menu. Depois, três entradas prestam tributo ao mar, que sempre inspirou as criações gastronómicas de Ricardo Costa. Primeiro, Canellone de santola forrado com pepino fermentado e complementado com a suavidade da espuma de jalapeños e a crocância do milho doce frito. Segue-se o Lagostim, servido como um tártaro temperado ao momento e acompanhado com maçã verde Granny Smith, pele de frango e caldo de dashi. Por fim, o Salmonete é apresentado por cima de um fino carpaccio de polvo, a que se junta puré de pimentos e caldo de pimento assado, bem como uma colorida salada de Primavera.

 

Por esta altura, um tradicional pão chega à mesa, ainda quente, com manteiga caseira e azeite – um hábito nos menus desenhados por Ricardo Costa.

 

A “Colheita” continua com dois pratos principais: no peixe, a Feijoada de sames de bacalhau, onde surgem camarões da costa e um taco de bacalhau de meia cura, a que o óleo de chouriço ajuda a dar força. Na carne, surge o Borrego de leite assado, em que a nobreza da carne exige a subtileza dos restantes ingredientes (beringela, romesco e spring onion).

 

Para as sobremesas, Ricardo Costa propõe três momentos: Ovos moles nitro (em homenagem a Aveiro, de onde o Chefe é natural), Laranja sanguínea com açafrão e pistachio e Taco de chocolate.

 

Na versão vegetariana, o primeiro prato principal é adaptado para uma Feijoada de abóbora com óleo de cebolinho. Depois, a beringela ganha lugar de destaque, mantendo-se os restantes acompanhamentos do prato de borrego – romesco, spring onion e ajo blanco.

 

Das entradas às sobremesas, alguns dos momentos do menu de degustação podem ser igualmente pedidos à carta, onde se adicionam, para os principais momentos da refeição, um Brás de lavagante e a Vaca Velha.

 

Para complementar a experiência, a carta de vinhos foi desenhada à semelhança da proposta gastronómica desenvolvida pelo Chefe Ricardo Costa para o Mira Mira, isto é, unindo o que é incontornável em Portugal a uma forte base de experimentação, sem esquecer alguns apontamentos internacionais.

 

A presenças vínicas de peso (entre elas, todas as casas de vinho do Porto do grupo The Fladgate Partnership), junta-se uma aposta clara em pequenos produtores, em referências biológicas e provenientes de agricultura regenerativa. As regiões do Dão e da Bairrada destacam-se entre as prediletas nas escolhas de Ricardo Costa para acompanhar as suas criações.

 

O Mira Mira by Chefe Ricardo Costa abre portas ao público a 20 de abril, somente aos jantares (19h – 23h) de quinta a segunda-feira. As reservas podem ser, desde já, realizadas online, através do e-mail book@wow.pt ou do telefone: 220 121 270.

 

RECOMENDADO PELOS LEITORES

Revista digital

THPORTUGAL 31 MAIO/JUNHO 2024

THPORTUGAL 31 MAIO/JUNHO 2024

Newsletter

Seja o primeiro a receber todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.