Sustentabilidade

As ondas de calor podem afetar o turismo na Europa?

Há alguns dias, o The New York Times questionava-se se as ondas de calor que atingiram a Europa poderiam afetar o turismo no continente.

10-09-2022 . Por TecnoHotel Portugal

As ondas de calor podem afetar o turismo na Europa?

Não há dúvida de que alguma razão pode levar ao artigo da autora  Paige McClanahan, que analisa como o calor extremo pode forçar os turistas a mudar datas ou destinos para mera saúde. Desde julho, a Europa tem estado mergulhada em ondas de calor que obrigaram, por exemplo, a fechar brevemente a pista do aeroporto de Luton, em Londres, devido a um defeito na sua superfície ou a atrasar ou cancelar comboios na Grã-Bretanha devido ao sobre aquecimento das vias.

A França também registou temperaturas recorde e Espanha, Grécia, Portugal ou Itália sofreram uma onda muito grave de incêndios florestais em algumas das suas regiões mais turísticas. "Do centro da cidade podia-se ver a Acrópole e por trás dela a neblina vermelha", diz Peter Vlitas, vice-presidente executivo do Internova Travel Group, referindo-se aos incêndios florestais que afetaram gravemente Atenas.

É claro que, pelo menos neste verão, as temperaturas extremas não afetaram o turismo e foram registados números recorde, tanto na ocupação hoteleira como no emprego e nos gastos em hotéis, bares e restaurantes. E é que depois de dois anos adiando férias, havia muito desejo de viajar. Ainda assim, do setor, como o artigo do The New York Times recolhe, começam a surgir as primeiras vozes que destacam esta preocupação por parte do turista. Acima de tudo, depois de ouvir repetidamente nos meios de comunicação que ondas de calor no futuro serão mudanças de datas e destinos

Isto tem as primeiras consequências (que não têm de ser negativas): Os viajantes avançam e atrasam o verão para a primavera e o outono; ou seja, viaja mais em abril, maio, setembro e outubro. O único problema  poderia estar noutra das premonições previstas no artigo de McClanahan: "Muitos viajantes começaram a mudar os seus itinerários para desfrutarem das suas férias em países mais a norte."

Karen Magee, da Know Experiences, diz que desde julho, a sua agência de viagens começou a receber chamadas de clientes a perguntar se podiam ajustar os seus planos de viagem para ter em conta as ondas de calor. "Aquilo era novo", reconhece. "Não me lembro da última vez que tivemos pessoas a ligar para tentar trocar as suas férias em Roma por uma cidade costeira." Outros pretendiam atrasar ou avançar as suas férias para evitar dias de calor extremo.

Em suma, é uma situação que se tem vivido muito neste verão: os viajantes que pretendiam passar as suas férias num destino urbano (Roma, Paris, Madrid...) e que no último minuto mudaram de ideias para viajar para destinos de praia (Ilhas Baleares, Sicília ou Marselha) e têm, pelo menos, a opção de se refrescar em calor tão intenso.

Alteração de datas e destinos

Isto tem as primeiras consequências (que não têm de ser negativas): Os viajantes avançam e atrasam o verão para a primavera e o outono; ou seja, viaja mais em abril, maio, setembro e outubro. O único problema para Espanha poderia estar noutra das premonições previstas no artigo de McClanahan: "Muitos viajantes começaram a mudar os seus itinerários para desfrutarem das suas férias em países mais a norte."

Karen Magee, da Know Experiences, diz que desde julho, a sua agência de viagens começou a receber chamadas de clientes a perguntar se podiam ajustar os seus planos de viagem para ter em conta as ondas de calor. "Aquilo era novo", reconhece. "Não me lembro da última vez que tivemos pessoas a ligar para tentar trocar as suas férias em Roma por uma cidade costeira." Outros pretendiam atrasar ou avançar as suas férias para evitar dias de calor extremo.

Em suma, é uma situação que se tem vivido muito neste verão: os viajantes que pretendiam passar as suas férias num destino urbano (Roma, Paris, Madrid...) e que no último minuto mudaram de ideias para viajar para destinos de praia (Ilhas Baleares, Sicília ou Marselha) e têm, pelo menos, a opção de se refrescar em calor tão intenso.

Pelo menos, este verão não houve cancelamentos totais por esta razão, E, como já vimos, as reservas estão a ser alargadas ao longo de setembro e até aos primeiros dias de outubro. Além disso, muitos viajantes não são elegíveis para cancelamento porque as políticas de cancelamento não incluem a cláusula de "cancelamento de temperaturas extremas", o que obriga os viajantes a "desfrutar" das suas férias na onda de calor.

Efeitos a longo prazo: é hora de agir

Po muito que haja quem ainda o negue, os efeitos mais severos das alterações climáticas começam a sentir-se. Chove cada vez menos, é mais quente e os eventos climáticos são mais extremos.

As empresas de turismo devem investir na proteção do clima para mitigar as emissões nas suas viagens à Europa. E é que mesmo parando todas as emissões de gases com efeito de estufa, já há um aquecimento adicional que está integrado no planeta. O calor intenso que sofremos este verão não é uma coincidência, mas uma tendência que teremos cada vez mais presentes. Deve ser da responsabilidade de todos trabalhar para tentar inverter ou controlar a situação; caso contrário, o sector do turismo do nosso país pode começar a sofrer as consequências.

O aumento das temperaturas em toda a Europa significa que os viajantes não vêem com maus olhos para o verão em países como a Grã-Bretanha, Holanda ou norte de França e Alemanha. Para dar apenas um facto para a reflexão: a Inglaterra registou nos últimos 20 anos, os dez anos mais quentes desde que tem registos, em 1884.

 

Autor: David Val Palao

Editor do TecnoHotel. Licenciado em Jornalismo pela Universidade Complutense, trabalha há mais de uma década no setor educativo e cultural. Especializado em redes sociais, posicionamento web e marketing digital.

 

RECOMENDADO PELOS LEITORES

Revista digital

TecnoHotel Portugal nº21 setembro/outubro

TecnoHotel Portugal nº21 setembro/outubro

Newsletter

Seja o primeiro a receber todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.