Distribuição

Procura turística cai na Europa devido à guerra na Ucrânia

A terrível situação de guerra na Ucrânia também afeta a cena internacional. Embora o principal seja o elevado custo das vidas, o conflito de guerra com a Rússia tem múltiplas outras consequências negativas.

26-03-2022 . Por TecnoHotel Portugal

Procura turística cai na Europa devido à guerra na Ucrânia

Neste momento, já se verifica que a procura de turismo na Europa começou a diminuir. Pelo menos, temporariamente.

Os economistas dizem também que o impacto económico total será maior na Europa do que noutras partes do mundo. Não é de estranhar, uma vez que a proximidade geográfica é acrescentada a outros fatores, como a relação direta entre estes mercados. É também o caso do sector das viagens.

O aumento da inflação representa uma situação complicada numa situação de crise já complexa causada pelo impacto da pandemia. Como resultado direto, para o turismo haverá também muitos desafios pela frente nos próximos meses, agora que a época alta começa.

Apenas dois anos após o bloqueio causado pelo Covid-19, começamos a ver as consequências de um novo desafio. Por exemplo, o consumo já estagnou em alguns países da Europa Oriental e o custo das declarações começa a aumentar.

Os fatores que determinam o impacto económico

O economista britânico Ian Stewart considera, como relata a CoStar, que os dois principais desafios são o aumento dos preços e as sanções à Rússia. Por sua vez, a energia tem outro papel fundamental, pelo que nesta amálgama de elementos será vital no resultado.

Tenha em mente que ambos os países exportam bens como alimentos, metais e baterias, especialmente no caso da Rússia. Por outro lado, a dependência do gás russo está também a fazer subir os preços, embora até agora não tenham surgido problemas de escassez.

Ou seja, estas oscilações monetárias e possíveis escassez ameaçam o alojamento. Sobretudo, porque conduz a um aumento significativo do preço do transporte aéreo. A isto temos de acrescentar o encerramento do espaço aéreo russo, que em algumas rotas obriga a desvios que também se tornam mais dispendiosos.

Por exemplo, se o combustível aumentar, o preço dos voos também o fará. E, se o bilhete custar mais caro, pode diminuir o número de viajantes. Por conseguinte, um aumento dos custos, numa altura em que a procura ainda não foi recuperada, poderá ser letal para alguns estabelecimentos hoteleiros.

Diminuição da procura na Europa

Neste momento, há alguns países próximos da zona de conflito que viram as suas reservas diminuir. O ForwardKeys observou que nas áreas próximas na semana seguinte ao início do conflito o interesse internacional tinha sido reduzido entre 30 e 50%. É o caso da Polónia, da Croácia, da Bulgária e das repúblicas bálticas.

De acordo com o segmento, a empresa de inteligência turística também descobriu que os voos dentro da Própria Europa caíram cerca de 23%. Entretanto, para os turistas dos Estados Unidos o valor foi um pouco inferior, apenas 13%. Globalmente, parece que, neste momento, em toda a Europa, a diminuição da procura de voos é inferior a 30%.

 

RECOMENDADO PELOS LEITORES

Revista digital

TecnoHotel Portugal nº21 setembro/outubro

TecnoHotel Portugal nº21 setembro/outubro

Newsletter

Seja o primeiro a receber todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.