Tecnologia

3 estratégias para proteger o seu hotel de ciberataques

A digitalização do sector hoteleiro é acompanhada por uma nova ameaça: o cibercrime. Os cibercriminosos procuram aceder a dados vulneráveis da empresa e dos clientes, colocando todo o sistema de segurança de hospedagem em risco.

07-10-2022 . Por TecnoHotel Portugal

3 estratégias para proteger o seu hotel de ciberataques

É da responsabilidade do hotel proteger tanto a empresa como os hóspedes deste tipo de risco, por isso trazemos-lhe estratégias-chave para proteger a cibersegurança do seu hotel.

A importância da cibersegurança em hotéis e acomodações

Os ciberataques procuram aceder a dados sensíveis como números de cartões de crédito, informações de passaportes, detalhes de voo e quaisquer dados que violem a informação privada tanto do hotel como dos hóspedes.

A cibersegurança tornou-se um elemento essencial na gestão de qualquer hotel: Em caso de ciberataque que exponha os dados pessoais dos hóspedes, a empresa pode enfrentar sanções legais e sanções.

O sector já não pode negar esta realidade, e é por isso que os fornecedores de PMS, gestores de canais, motores de reservas e outras ferramentas especializadas em proteger o hotel de ataques de hacking estão a começar a ser implementados.

Além de utilizar ferramentas de prevenção, é necessário acompanhá-lo com estratégias de cibersegurança capazes de agir e proteger o hotel destes riscos.

Prevenção de riscos

A abordagem-chave em qualquer estratégia de segurança deve basear-se na prevenção: para isso, uma primeira avaliação é essencial para detetar possíveis ameaças.

A inteligência artificial aplicada permite uma ação preventiva que protege a intrusão de criminosos online no sistema, e ficar atento a este problema também ajudará a agir com antecedência antes de qualquer falha de segurança.

Implementar protocolos de segurança tecnológica

Além de estabelecer um plano de prevenção, ter um protocolo de ação em caso de ataque é também um aspeto fundamental que deve ser tido em conta na gestão hoteleira.

Levar o cibercrime tão a sério como a segurança física do hóspede é essencial hoje em dia, o que requer a implementação de estratégias específicas de proteção de dados.

A equipa do hotel também deve estar ciente dos ciberataques e da vulnerabilidade dos dados pessoais dos clientes em todos os canais.

O protocolo de segurança evitará possíveis sanções e mitigará danos, acreditando nas ações de prevenção que foram definidas para a proteção dos dados dos clientes.

Um seguro que cubra falhas de cibersegurança será útil se os dados privados dos hóspedes forem expostos, permitindo monitorizar os danos e proteger a tempo a informação mais sensível do cliente.

Investir em cibersegurança é uma das apostas mais lucrativas no setor hoteleiro, especialmente nestes momentos de digitalização onde novas formas de cibercrime não deixam de aparecer.

Estabelecer um responsável direto

Embora a equipa de gestão tenha de estar ciente de como prevenir e agir sobre estes riscos, deve haver uma figura de responsabilidade que mantenha todo o protocolo sob controlo.

Este problema está a tornar-se cada vez mais importante, pelo que é importante ter parceiros tecnológicos, legais e também seguradoras, o que será essencial no caso de o hotel sofrer violações da sua cibersegurança.


RECOMENDADO PELOS LEITORES

Revista digital

TecnoHotel Portugal nº22 novembro/dezembro

TecnoHotel Portugal nº22 novembro/dezembro

Newsletter

Seja o primeiro a receber todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.