Tecnologia

A transformação digital da indústria hoteleira com cloudbeds

Victor Tofan, Hotelier & Strategic Sales Executive EMEA da Cloudbeds, está convencido de que a digitalização no turismo é inevitável.

30-06-2022 . Por TecnoHotel Portugal

A transformação digital da indústria hoteleira com cloudbeds

Isto ficou claro no Painel de Peritos do TecnoHotel Forum, no qual falava das mudanças aceleradas que temos sofrido nos últimos anos. Além disso, o impacto que tiveram nos hotéis. Especialmente naqueles que não foram capazes de se adaptar rapidamente o suficiente.

Considere que estamos a viver uma transformação digital em todas as áreas das nossas vidas, onde a gratificação instantânea é o culminar de uma experiência positiva de cada utilizador. "Já não vendemos camas, mas experiências", diz. O sector das viagens também tem vindo a evoluir. Agora vemos a importância que as empresas estão a dar à utilização de ferramentas digitais.

Especialmente, porque estes servem para melhorar as suas capacidades operacionais e satisfazer as experiências de um novo viajante com altas expectativas. No entanto, pergunta-se se o sector hoteleiro está a evoluir na mesma direção. Por que continuamos a utilizar sistemas desatualizados, desligados e de difícil utilização?

A situação nos estabelecimentos hoteleiros

"Temos de começar a olhar para um futuro e o presente em que as novas gerações esperam que os estabelecimentos hoteleiros ofereçam uma experiência digital, rápida e simples, sem barreiras. Com isto em mente, contamos com a transformação tecnológica adaptada à procura atual para poder servir o nosso viajante do futuro. Transformar os nossos gestores imobiliários em anfitriões e voltar à origem da nossa indústria, a hospitalidade", explica.

O Executivo de Vendas Estratégicas da Hotelier & Strategic Sales EMEA da Cloudbeds também vê esta mudança como uma grande oportunidade para implementar novas estratégias que maximizem a rentabilidade com maior venda direta e maior visibilidade. Desta forma pode aumentar a marca e aumentar o tráfego, até encontrar o "Melhor Hóspede". Por exemplo, insiste que "os hotéis devem adaptar os seus canais a novos hóspedes". Especialmente, porque no final "algo mais valioso do que vendas diretas é um hóspede com fidelidade ao hotel".

Garante ainda que "está na altura de mudar a distribuição das vendas dos nossos serviços". Isto implica "encontrar o equilíbrio certo entre OTA e reservas diretas". Além disso, recomenda ter em conta certos elementos-chave a serem bem sucedidos: a percentagem de ocupação, as alterações de preços da concorrência e as alterações baseadas nas restrições.  Então é conveniente estar atualizado com os eventos e apostar em upselling e cross-selling.

"Graças ao facto de podermos abordar o caminho da digitalização com plataformas de gestão hoteleira na nuvem, que sincronizam e funcionam perfeitamente com os outros, oferecem-nos simplicidade e, acima de tudo, integração de dados para podermos tomar decisões com segurança, podemos compreender as necessidades do mercado e responder rapidamente a elas"  Diz.

A mudança é inevitável

Como resumo, Victor Tofan afirma de Cloudbeds que, se a pandemia nos ensinou alguma coisa, é que a mudança pode ocorrer de um dia para o outro. É por isso que os hoteleiros e anfitriões devem permanecer atentos e ágeis, prontos para se adaptarem num mundo em rápida mudança.

 

Oara ver o vídeo clique em:  https://youtu.be/u4vC_kBZ7QQ


RECOMENDADO PELOS LEITORES

Revista digital

TecnoHotel Portugal nº20 Julho/Agosto

TecnoHotel Portugal nº20 Julho/Agosto

Newsletter

Seja o primeiro a receber todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.