Tecnologia

Como será o futuro do turismo na era virtual?

Nos últimos anos, a incerteza tem condicionado a presença do turismo, mas também o seu futuro. O que há alguns anos atrás era uma quimera, agora é uma realidade.

16-06-2022 . Por TecnoHotel Portugal

Como será o futuro do turismo na era virtual?

Estamos a assistir a uma verdadeira revolução, em que a tecnologia, a sustentabilidade e a conectividade não são apenas fatores indispensáveis para o sucesso. Também os ingredientes para uma inevitável mudança de paradigma.

Um momento importante para o turismo

Poucos momentos na história foram tão decisivos para o turismo como o atual. Depois de enfrentarmos uma pandemia global, temos agora de responder às consequências económicas e sociais decorrentes da escalada inflacionista que o continente atravessa. Ou o impacto da guerra na Ucrânia em alguns mercados de origem.

Mas, embora as perspetivas possam parecer assustadoras para o turismo global, a verdade é que as oportunidades de crescimento estão a multiplicar-se. E todas elas passam pela capacidade das empresas de serem competitivas num ambiente digital cada vez mais exigente. É precisamente aí que colocamos o foco no Maarlab. Facilitamos, por exemplo, que o alojamento turístico possa oferecer aos seus clientes pacotes de férias com voo incluído a um clique de distância e a partir do seu próprio site.

Graças ao trabalho e talento de toda a equipa por trás desta solução tecnológica que permite ao anfitrião tornar-se seu próprio operador turístico, os destinos de férias espanhóis podem aspirar a ser mais autónomos, acessíveis e competitivos, com o consequente impacto na sustentabilidade da nossa indústria.

Tecnologia: um horizonte para além da realidade

O turismo tem beneficiado constantemente da tecnologia. Desde a evolução dos meios de transporte e consequente redução das distâncias, até ao surgimento da internet. O sector do turismo sempre foi capaz de encontrar oportunidades de crescimento nas inovações tecnológicas. E o idílico ainda agora começou. Hoje, o brilhante avanço da tecnologia, aliado aos efeitos isoladores da pandemia, gerou uma onda de projetos fascinantes.

Um bom exemplo desta tendência é a ação levada a cabo pela Xbox em parceria com a Rought Guides. Juntos criaram o primeiro guia turístico para mundos virtuais. Um projeto que recolheu os ambientes mais detalhados já criados pela indústria dos videojogos. Por isso, disponibilizou-os ao público para que pudessem viajar durante os piores meses da pandemia, sem sair de casa.

Mas se alguma coisa está a esbater os limites do que é palpável no turismo do futuro, é o metaverso. Já existem vários gigantes tecnológicos, entre os quais a Meta, que está a criar universos digitais. Neles, além de poder interagir com outros utilizadores, também é possível viajar, comprar uma casa com dinheiro real e até voar. Isto significa que, no futuro, as redes de hotéis só serão ocupadas no metaverso? Não tem de ser assim.

As experiências reais continuarão a ser procuradas, desde que sejam relevantes para aqueles que as vivem. Mas qualquer experiência de lazer que não envolva viagens será um novo concorrente no setor. Um concorrente que também sabemos que será mais competitivo todos os dias do que o anterior, pelo que exigirá o melhor de nós para fazer da componente digital um aliado da nossa indústria e não o contrário. Neste momento, o que parece claro é que este tipo de iniciativa, mais do que um concurso, pode tornar-se uma magnífica montra para a promoção turística.

O novo paradigma do turismo: a experiência digital

Se com a revolução industrial os produtos de consumo se tornaram o principal foco do desejo da sociedade, com a revolução digital foram as experiências que ocuparam essa posição. E no turismo algo semelhante está a acontecer. Para novos perfis turísticos, o mais importante não é o destino ou o próprio alojamento. É a experiência que recebo deles, as emoções que geram.

A partir do momento da compra, a experiência digital que o turista obtém do site de um estabelecimento terá um papel determinante nas suas decisões. Inevitavelmente, estamos perante um novo paradigma. Um paradigma onde a experiência turística substitui o turismo convencional. Mas como é que isto afeta o turismo do futuro e do presente?

As consequências desta mudança já se notam no sector. Para começar, as acomodações cuja presença digital é incapaz de gerar uma experiência satisfatória perderão muita competitividade. É muito importante ter isto em mente quando se planeiam estratégias comerciais. Por isso, do Maarlab oferecemos soluções ideais para acomodações que desejam adaptar-se a este novo paradigma.

A nossa equipa tem a experiência necessária para impulsionar o negócio digital de qualquer acomodação que queira dar um passo no futuro. Começando por melhorar a sua capacidade de venda direta como principal alavanca de rentabilidade dos seus negócios e construir as suas marcas no ecossistema digital. Para nós, é uma satisfação poder contribuir para que este novo paradigma do turismo do futuro não se torne uma ameaça constante, mas um caminho de oportunidades que ajudem os nossos clientes a conectar-se com as necessidades dos novos perfis turísticos.

 

Autorr: Raúl Domínguez, CEO de Maarlab


RECOMENDADO PELOS LEITORES

Revista digital

TecnoHotel Portugal nº21 setembro/outubro

TecnoHotel Portugal nº21 setembro/outubro

Newsletter

Seja o primeiro a receber todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.