Tecnologia

Três desafios para a digitalização e transformação do setor do turismo

A digitalização já é uma necessidade e não uma opção em praticamente todos os sectores. Neste sentido, o turismo não pode ser menor.

01-08-2022 . Por TecnoHotel Portugal

Três desafios para a digitalização e transformação do setor do turismo

Com um perfil de cliente praticamente digital que exige soluções adaptadas, o turismo tem uma série de oportunidades e desafios à sua frente que deve abordar. E ainda mais no verão de 2022 onde Espanha, segundo dados do Governo, recupera este ano 90% dos turistas internacionais em comparação com 2019 e até aumenta 3% dos turistas nacionais em comparação com o mesmo ano.

Conscientes da importância do turismo no nosso país, a Interxion e a DE-CIX organizaram um painel de debate com a IDG Research e um grupo representativo de empresas do setor em que o estado atual do turismo em matéria tecnológica e digital foi analisado, além de estabelecer alguns dos seguintes desafios que o turismo deve enfrentar nos próximos anos.

— 1. Assegurar a conectividade para transformar digitalmente a indústria

A conectividade posicionou-se como o fator mais importante para que as empresas de viagens e turismo se digitalmente digitalmente. Este facto adquiriu tanta importância que está a influenciar ao desenhar uma estratégia de nuvem, uma vez que influencia muito quando os clientes consomem os serviços nos seus dispositivos, uma vez que querem aceder-lhes a qualquer momento e a partir de qualquer lugar.

Há alguns anos, o acesso à Internet em hotéis foi concebido como um serviço diferenciador, mas para os clientes é atualmente um requisito por padrão, porque agora têm vários dispositivos e esperam ter a mesma qualidade de conectividade que na sua casa. Caso contrário, a sua avaliação geral da estadia será negativamente afetada.

— 2. Personalize ao máximo a experiência do cliente

Nos últimos dois anos, o utilizador optou pela digitalização a grande velocidade, como mostram os dados. De facto, 78% das reservas turísticas já são feitas online, de acordo com um estudo recente do Visa and Payment Innovation Hub, que tem causado o aumento das suas expectativas de receber um serviço sem emenda. Por conseguinte, as empresas do sector devem trabalhar para oferecer um serviço abrangente, juntamente com um maior grau de personalização.

O utilizador, portanto, exige que lhe seja oferecida uma experiência de qualidade através dos seus próprios dispositivos, pelo que a baixa latência e a elevada disponibilidade de todos os serviços digitais são fundamentais para poder oferecer a melhor experiência possível.

 

— 3. Modernizar a estrutura para dar total controlo ao cliente

O utilizador atual não quer esperar para fazer uma reserva, que os tempos de espera são longos ou que as opções de uma interface não satisfazem as suas necessidades. O que procura é mover-se indistintamente pelos diferentes canais, sejam eles físicos ou digitais, quer ter controlo sobre tudo o que decide e, naturalmente, exige imediatismo, o que significa modernizar toda a estrutura tecnológica para responder a estas exigências.

Nesse sentido, os governos já estão a tomar algumas decisões, como a levada a cabo por Espanha no início de 2022, com um investimento superior a 25 milhões de euros, destinado ao desenvolvimento e implementação de projetos tecnológicos em empresas ligadas ao turismo. Com isto, poderão melhorar toda a sua estrutura interna para responder ao imediatismo e agilidade exigidos pelo cliente atual. Por exemplo, se um utilizador estiver hospedado num hotel e tiver reservado uma atividade no resort, espera ter tudo pronto à chegada sem a necessidade de processos manuais internos para retardar a disponibilidade ou preparação do serviço.

Colocar a tecnologia em valor à frente do negócio, flexibilizar a estrutura de custos da infraestrutura tecnológica e garantir o talento disponível para otimizar ao máximo as suas próprias capacidades, são outras das chaves discutidas nesta reunião que o setor do turismo enfrenta para poder responder à procura atual, principalmente em termos de capacidade tecnológica e digitalização de serviços. E é que a clara digitalização do cliente do setor do turismo é a alavanca que está a impulsionar a transformação do setor e o caminho que deve seguir para não ficar para trás e continuar a oferecer um serviço abrangente e personalizado ao utilizador.


RECOMENDADO PELOS LEITORES

Revista digital

TecnoHotel Portugal nº20 Julho/Agosto

TecnoHotel Portugal nº20 Julho/Agosto

Newsletter

Seja o primeiro a receber todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.