Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Terça-feira, 15 Outubro, 2019

Role para cima

Top

Taxa de ocupação na hotelaria cresceu na exata medida da descida do preço

Taxa de ocupação na hotelaria cresceu na exata medida da descida do preço

De acordo com o AHP Tourism Monitors, ferramenta exclusiva de recolha de dados da Hotelaria nacional trabalhados mensalmente pela AHP – Associação da Hotelaria de Portugal, em julho de 2019 a Taxa de Ocupação (TO) nacional fixou-se nos 81%, enquanto o ARR decresceu 1%, face ao mesmo mês do ano anterior.

OPERAÇÃO HOTELEIRA | JULHO 2019

 

EVOLUÇÃO DOS INDICADORES EM COMPARAÇÃO COM O PERÍODO HOMÓLOGO

Fonte: Associação da Hotelaria de Portugal – AHP Tourism Monitors – julho de 2019

Em julho de 2019, a TO em Portugal subiu 0,8 p.p., atingindo os 81%. Destaque para o crescimento expressivo neste indicador nos destinos Aveiro (mais 14,9 p.p.),  Açores (mais 6,5 p.p.) e Minho (mais 6,2 p.p.). Em sentido contrário, os destinos Alentejo, que caiu 4,3 p.p., acompanhado pela Madeira, menos 4,2 p.p., e Beira Interior & Viseu, menos 3,3 p.p..

Já quanto ao ARR, este decresceu 1%, fixando-se nos 116 euros. Neste indicador, a destacar a quebra dos destinos Beira Interior & Viseu (menos 13%), Leiria/Fátima/Templários (menos 10%) e Lisboa (menos 6%).

O RevPar fixou-se nos 93 euros, mais 0,1% face ao período homólogo. Os destinos turísticos com o RevPar mais elevado foram Algarve (136 euros), Estoril/Sintra (107 euros) e Lisboa (106 euros).

Tanto no ARR, como no RevPar, há a salientar o crescimento de 9% e 6%, respetivamente, nas duas estrelas, e a quebra de 5% e 4%, respetivamente, nas cinco estrelas.

Cristina Siza Vieira, CEO da AHP, declara “julho foi um mês um pouco atípico, com alguns destinos a sacrificar os preços para aumentar a taxa de ocupação, como foi o caso de Leiria/Fátima/Templários e Lisboa. No entanto, deve destacar-se que destinos como Açores, Grande Porto, Aveiro e Algarve registaram, neste mês, uma ocupação acima dos 80%. Crescendo na TO sem sacrifício do preço.”

 

DESTINOS TURÍSTICOS

MINHO

Em julho de 2019, a TO foi de 71%, revelando uma subida de 6,2 p.p., face ao período homólogo. O ARR foi de 77 euros e o RevPar cresceu 24%.

GRANDE PORTO

Durante o mês de julho de 2019, os indicadores no destino Grande Porto demonstraram, face ao período homólogo, um crescimento de 10% no RevPar, enquanto o ARR se fixou nos 98 euros. A TO foi de 84%, mais 2,6 p.p. do que em julho de 2018.

AVEIRO (região de)

Durante o mês de julho de 2019, o destino turístico Aveiro apresentou uma variação positiva de 18% no ARR e o RevPar fixou-se nos 72 euros. A TO foi de 84%, mais 14,9 p.p. do que em junho de 2018.

COIMBRA (região de)

As unidades hoteleiras da região de Coimbra apresentaram, em julho de 2019, uma TO de 72%, o que representa uma quebra 3 p.p. face ao período homólogo. Destaque ainda para o ARR de 74 euros, enquanto o RevPar evidenciou um crescimento de 6%.

BEIRA INTERIOR & VISEU

Em julho de 2019 a TO foi de 47%, revelando uma quebra de 3,3 p.p., face a junho de 2018. Da análise ao ARR salienta-se a quebra de 13%, face ao período homólogo, enquanto o RevPar foi de 27 euros.

OESTE

Não há, neste mês, amostra neste destino turístico.

LEIRIA/FÁTIMA/TEMPLÁRIOS

No mês de julho de 2019 destaque, neste destino, para o aumento da TO em 2,4 p.p., face ao período homólogo, atingindo os 55%. O ARR foi de 58 euros e o RevPar decresceu 6% relativamente a julho de 2018.

ESTORIL/SINTRA

Durante o mês de julho de 2019, a hotelaria do destino Estoril/Sintra apresenta uma variação positiva  de 4% no RevPar, enquanto o ARR se fixou nos 139 euros.

A TO foi de 77%, menos 1,2 p.p. do que em julho de 2018.

LISBOA

No mês de julho de 2019, o destino turístico Lisboa registou uma TO de 89%, revelando um aumento de 2,3 p.p. face a julho de 2018.

Em termos de RevPar, o valor de julho de 2019 cifrou-se em 106 euros. Verificou-se ainda um decréscimo de 6% no ARR.

COSTA AZUL

As unidades hoteleiras deste destino apresentaram, no mês de julho, um ARR de 96 euros. A TO foi de 85%, mais 3,5 p.p. e o RevPar subiu 4%.

ALENTEJO

Os hotéis deste destino apresentaram no mês de julho uma TO de 71%, menos 4,3 p.p. face a julho de 2018.

O ARR foi, neste mês, de 90 euros e o RevPar evidenciou uma quebra de 8% face ao mesmo mês do ano anterior.

 ALGARVE

Em julho de 2019, a TO no Algarve foi de 83%, mais 0,5 p.p. face ao mês homólogo de 2018.

A TO, quando comparada por zonas, foi superior no Algarve Centro (86%), face ao Algarve Barlavento (81%) e ao Algarve Sotavento (75%).

O ARR foi em julho de 2019 de 164 euros e o RevPar aumentou 3%.

MADEIRA

Em julho de 2019, a hotelaria da Madeira apresentou uma TO de 77%, menos 4,2 p.p. face a julho de 2018. O ARR evidenciou uma subida de 6% e o RevPar fixou-se nos 67 euros.

AÇORES

A hotelaria dos Açores, em julho de 2019, apresentou uma TO de 91%, mais 6,5 p.p. do que no período homólogo anterior. O ARR foi de 105 euros e o RevPar cresceu 15%.

Nota metodológica: Alteração estatística relevante
A AHP restruturou a configuração dos destinos turísticos da Área Promocional Centro
com vista a um melhor equilíbrio entre as várias regiões e conferir aos destinos que a integram uma maior equidade e rigor que permitirá melhorar a análise de performance.

Esta Área promocional passa a ter uma nova composição: Destino turístico Aveiro, Destino turístico Coimbra, Destino turístico Beira Interior & Viseu, Destino turístico Oeste e Destino turístico Leiria/Fátima/Templários.

 Glossário
ARR: Preço médio por quarto ocupado
RevPAR: Preço médio por quarto disponível
TO: Taxa de Ocupação

Sobre os AHP Tourism Monitors

Os Tourism Monitors, desenvolvidos pela AHP desde 2004, consistem numa ferramenta que permite recolher os dados relativos à operação hoteleira, tratando-os em termos de destinos turísticos e categorias, e concretizando-os em informações estatísticas e económicas. Constituem uma importante ferramenta de apoio à gestão hoteleira, fornecendo em simultâneo uma informação rigorosa sobre a performance e a evolução da indústria hoteleira em Portugal.

O Hotel Monitor, um dos vários monitores que integram os Tourism Monitors da AHP, recolhe a informação referente apenas aos hotéis (que representam 61% do total dos empreendimentos turísticos em Portugal e 67% dos quartos), enquanto os dados fornecidos pelo INE e pelo Turismo de Portugal se referem à totalidade da oferta de alojamento turístico.

 Sobre a AHP

A AHP – Associação da Hotelaria de Portugal é a maior associação patronal da indústria hoteleira, cujos associados representam cerca de 65% do número de quartos da hotelaria nacional. A AHP é uma instituição centenária que promove um conjunto de serviços indispensáveis às pequenas e médias empresas, centrando a sua ação no negócio e futuro dos seus associados e tornando-a, assim, de maior relevância no espaço associativo. Foi reconhecida como associação de utilidade pública em outubro de 2013.

AHP – Associação da Hotelaria de Portugal

Gabinete de Comunicação

Ana Rita Bentes

Tel: 213 512 360 | Tlm: 937 432 128

Email: ana.bentes@hoteis-portugal.pt