Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Terça-feira, 26 Março, 2019

Role para cima

Top

Sem comentários

Francisco Calheiros, Presidente da Confederação do Turismo Português (CTP), preocupado com o efeito do Brexit no turismo

Francisco Calheiros, Presidente da Confederação do Turismo Português (CTP), preocupado com o efeito do Brexit no turismo

O presidente da Confederação do Turismo Português (CTP), mostra-se preocupado com as consequências possíveis do ‘Brexit’ no turismo britânico em Portugal  defendendo ações para evita perdas.

Em meados de janeiro   a Câmara dos Comuns vais debater a aprovação do tratado de saída  do Reino Unido da União Europeia (‘Brexit’), cujo o desfeito é imprevisível. A Lusa falou com a Confederação do Turismo Português (CTP), para saber qual o impacto que o Brexit terá para Portugal 

O responsável da CTP relembrou que os turistas britânicos são muito importantes para Portugal, sobretudo para o turismo no Algarve e na Madeira.

2018 houve uma descida de 9% nas dormidas face a 2017, o que constitui uma situação preocupante Por esse motivo foi criado um grupo de  grupo de acompanhamento  para identificar eventuais problemas e antecipar soluções. Este grupo inclui a Secretaria de Estado do Turismo, a Secretaria de Estado da Internacionalização e o Turismo de Portugal. 

Um estudo promovido pela CIP – Confederação Empresarial de Portugal, de outubro e que foi apresentado no parlamento em dezembro, considera o turismo e as exportações do setor automóvel as duas das áreas que mais poderão ser afetadas com o ‘Brexit’ em Portugal. Se o Reino Unido sair da União Europeia sem acordo, os turistas britânicos serão considerados oriundos de países terceiros, e  precisarão de passaportes válidos para entrar em Portugal. Segundo o Presidente da CPT vai ser necessário  estudar este tipo de consequências, sendo necessário fazer mais promoção no Reino Unido, e tentar substituir as companhias aéreas que deixarem de voar para o Algarve, de reforçar no Reino Unido, produtos como por exemplo o golfe e investir no MICE (Meetings, Incentives, Conferences and Events), que levam muita gente ao Algarve”. Para o presidente da CTP, é necessário fazer tudo para não perder essa percentagem grande de britânicos  que vão para o Algarve Considera também ser necessário haver mais voos diretos e reforçar  produtos e serviços de que os ingleses gostam. Em janeiro será definida a saída do Reino Unido com acordo, o que seria o ideal ou sem acordo o que deixa em aberto uma série imprevisível de graves problemas para todos

CTP – Confederação do Turismo de Portugal –  geral@ctp.org.pt

Envie um comentário