Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

TecnoHotel | Terça-feira, 13 Abril, 2021

Role para cima

Top

A digitalização pós-COVID que o setor hoteleiro necessita: cinco chaves

A digitalização pós-COVID que o setor hoteleiro necessita:  cinco chaves

O turismo e a hotelaria, em particular, estão entre setores  mais afetados pela crise de saúde do COVID-19. Muitos hotéis após um ano de pandemia  ainda não conseguiram reabrir as suas portas.

Mas em toda crise existe uma oportunidade. É por isso que a PaynoPain, empresa espanhola de tecnologia especializada no desenvolvimento de ferramentas de pagamento online, analisa a razões pelas quais a digitalização de hotéis e do setor turístico em geral é a melhor alternativa para impulsionar o setor após a pandemia.

Embora os benefícios que a digitalização de processos trouxe aos hotéis já sejam sentidos há anos, agora o salto é mais necessário do que nunca para criar uma experiência com risco mínimo de contágio. 

Os clientes exigem e o próprio hotel tem muito a ganhar virtualizando grande parte do seu relacionamento com o hóspede. Vejamos os principais benefícios que a digitalização traria aos hotéis na sua recuperação pós pandemia:

1. Ofertas e promoções online

A aquisição de clientes passou a ser suportada quase inteiramente por meio online e por para isso é fundamental fortalecer este canal de contato. É imprescindível reforçar a presença em OTAs, páginas de comparação, motores de pesquisa e redes sociais. Também é uma boa ideia investir em campanhas online e, acima de tudo, oferecer o máximo de descontos e promoções possíveis para obter reservas antecipadas e melhorar a liquidez corrente.

2. Check-in e check-out sem contacto

O cliente exige experiências 100% seguras das empresas e isso é algo que favorece ambas as partes. Além de medidas básicas, como limpeza extrema, é importante contar com a digitalização e oferecer experiências o mais próximo possível do contato 0.

O check-in online é uma opção que, embora tradicionalmente posta em causa, pode agora ser a salvação para conquistar os clientes mais exigentes. Evitar filas, diminuir o contato e dar ao hóspede o poder de autogestão são garantias de satisfação. E se adicionarmos uma tecnologia de pagamento com tokenização de cartão, o checkout pode ser tão rápido quanto higiénico .

3. Pagamentos integrados

Como já vimos, o pagamento antes da chegada do hóspede é uma opção muito boa para agilizar processos e diminuir o contato, mas também ter maior liquidez. Para tal, é fundamental integrar todo o processo de pagamento e uma das maneiras mais simples e segura de o conseguir é escolher uma via de pagamento que permita a cobrança em qualquer canal e integre todas as transações num mesmo painel de controlo.

4. Maior produtividade

A automatização que permite a digitalização simplifica o trabalho da equipa humana do hotel, reduzindo as suas tarefas e aumentando a segurança interna. Isso leva ao aumento da produtividade, permitindo que se trabalhe com menos funcionários até que a recuperação económica esteja concluída. Além disso, por não ter contato direto com os dados de pagamento em nenhum momento, o risco de erros desaparece e é uma garantia de segurança e tranquilidade para todos os envolvidos.

5. Escuta ativa

Enfim, neste momento tão delicado não podemos ignorar a importância de ouvir as necessidades e pedidos do cliente para continuar a melhorar e a oferecer o que lhe mais dá garantias de segurança. Por isso, é imprescindível digitalizar as relações com eles e ampliá-las no tempo, enviando campanhas por e-mail que, por um lado, nos permitam conhecer suas impressões e sugestões de melhoria e, por outro, oferecer-lhes promoções personalizadas para ganhar a sua fidelização.

 

 

 

Clique no link para ler a edição digital:

https://www.tecnohotelnews.pt/revista/no11-janeiro-fevreiro-2021/